segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Ator de Hollywood recusou fazer cenas de sexo em respeito à esposa e foi demitido

Neal McDonough
"Não conseguia emprego: me achavam fanático. Mas coloquei Deus e a família em primeiro lugar e a mim em segundo. É assim que eu vivo".
Neal McDonough, ator que participou de conhecidas produções do cinema e da televisão como “Capitão América”, “Minority Report” e “Desperate Housewives”, é casado há 15 anos com a modelo Ruvé Robertson, com quem tem 5 filhos.
Em entrevista recente, ele relatou ao site Closer Weekly que foi demitido em 2010 porque, em respeito à esposa e por convicções religiosas, se negou a fazer cenas de sexo com a atriz Virginia Madsen durante as gravações da série “Scoundrels“, produzida pelo canal ABC.
“Não vou beijar outra mulher, porque esses lábios já são comprometidos”.
McDonough foi substituído três dias após o início das filmagens e, conforme estimativas do site Deadline.com, perdeu cerca de 1 milhão de dólares por causa da decisão. A demissão o surpreendeu:
“Eu não conseguia mais emprego porque todo o mundo achava que eu era um fanático religioso”.
Mas as perdas momentâneas não o afetaram e, no fim das contas, foram amplamente superadas:
“Eu coloquei Deus e a família em primeiro lugar e a mim mesmo em segundo. É assim que eu vivo. É por isso que vou à igreja todos os dias e agradeço a Deus por tudo o que Ele me deu. E agradeço principalmente por ter me dado a Ruvé, porque, sem ela, com certeza eu não estaria contando essa história. Depois de quase 20 anos, 5 filhos e uma vida maravilhosa, nós somos parceiros para tudo e eu sou o cara mais abençoado do mundo”.
É interessante observar que esse tipo de testemunho não costuma aparecer com destaque nos grandes portais de notícias, muito embora sejam diárias, na página inicial da maioria deles, as “notícias” sobre o mundo das celebridades.



sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Imprensa sensacionalista usa mentiras ao falar do Papa Francisco

O Papa NÃO disse que “é melhor ser ateu do que ir à missa e falar mal dos outros”.
CYRKOWCY U PAPIEÅ»AMas grande parte da imprensa optou por "noticiar" a sua própria e enviesada versão das palavras do Papa e, principalmente, do seu contexto
Na primeira audiência geral de 2019, nesta quarta-feira, 2 de janeiro, o Papa Francisco disse:
“Quantas vezes vemos o escândalo criado por aquelas pessoas que vão à igreja e ficam lá todo o dia, ou vão lá todos os dias, e depois vivem com ódio dos outros ou falando mal das pessoas. Isto é um escândalo! É melhor não ir à igreja: vive assim, como ateu. Mas, se você vai à igreja, vive como filho, como irmão, e dá um verdadeiro testemunho, não um contratestemunho”.
Veículos de comunicação, no entanto, deram a entender que, “segundo o Papa Francisco, é melhor ser ateu do que ser católico e falar mal dos outros”.
Francisco não fez comparação nenhuma entre ateus e católicos como tais, mas, em todo caso, entre dois comportamentos que negam a Deus na prática (e, portanto, são em si mesmos distantes da postura a que ele convida os católicos sinceros e que é a verdadeira exortação apresentada em seu discurso: viver como filhos de Deus e como irmãos entre si).
assunto abordado pelo Papa nesse momento da sua catequese são as pessoas que se acham católicas porque vão à igreja com grande assiduidade, mas que, habitualmente, cometem os pecados venenosos da língua. Essas pessoas geram escândalo e transmitem o contrário do verdadeiro testemunho católico. Neste caso, e especificamente neste caso, o Papa observa, pelo contexto da sua catequese e pelo conjunto das suas afirmações, que seria melhor se tais pessoas mudassem de postura e vencessem a incoerência, mas, se não estiverem dispostas a isto, então seria menos escandaloso que elas parassem de fingir que são católicas e se assumissem como indivíduos que, na prática, negam a Deus, dado que já vivem em aberta incoerência com o mínimo que Deus nos pede.
Trata-se de uma evidente crítica a um comportamento pontual de católicos incoerentes e não de uma comparação “qualitativa” entre católicos e ateus – até porque há linguarudos e mexeriqueiros também entre estes, como os há em todo e qualquer grupo humano genérico.
Se alguém quiser insistir em interpretar as palavras do Papa como uma “comparação prática” entre crenças, deverá em todo caso reconhecer que ela se restringe exclusivamente ao conjunto das pessoas que negam a Deus, comparando, então sim, aqueles que o fazem assumidamente por convicção ideológica e aqueles que o fazem mediante a contradição entre a sua suposta condição cristã e as suas reais atitudes anticristãs: afinal, o que o Papa condena é justamente a postura de quem não vive em coerência com a própria condição de filho de Deus e irmão de todos os homens. Não há nessa fala uma comparação técnica entre religiões ou crenças pessoais como tais, mas uma crítica direta a comportamentos de pessoas que, na prática, afastam Deus da sua vida mediante posturas incompatíveis com Ele. Quanto ao ateísmo entendido como crença pessoal, ele sequer fez parte do contexto. Aliás, respeita-se a opção de quem escolhe, num gesto de fé, acreditar na inexistência de Deus – mas as palavras de Francisco não tocaram nesse tema especificamente nem colocaram esta opção como parte do convite aos católicos sob nenhum ponto de vista intelectualmente honesto em momento algum da catequese.
Há pessoas que, diante de um convite ao exame de consciência, o acolhem, o aplicam a si mesmas e procuram melhorar os seus comportamentos. E há pessoas que preferem apontar o dedo para qualquer ponto, menos para a própria consciência, e, de quebra, descontextualizando até o assunto a ser examinado. Questão de livre arbítrio – e, mais profundamente, de maturidade.
Fonte: 
https://pt.aleteia.org/2019/01/04/o-papa-nao-disse-que-e-melhor-ser-ateu-do-que-ir-a-missa-e-falar-mal-dos-outros/?fbclid=IwAR2y3-dZ8UEFmcs-Dcp9rOBHcNi9c4xGZCexOgDrl6GVfoE-7GAtv4ycoPU

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Show da virada em praia catarinense tem menores expostos a palavrões e xingamentos


Respeito é um substantivo masculino oriundo do latim respectus’ que é um sentimento positivo e significa ação ou efeito de respeitarapreçoconsideraçãodeferência.
Quem esteve no SHOW DA VIRADA em Piçarras no último 31 de dezembro, viu um MAR DE GENTE com aproximada mente VINTE MIL pessoas, que na sua grande maioria era composto de FAMÍLIAS (pais, mães e crianças).
A noite estava toda ela programada para ser uma festa e levar alegria e felicidade a todos os veranistas que, muitos vindos de outras praias, escolheram passar a virada do ano naquele belo balneário.
O show da virada era um evento promovido pela Secretaria de Turismo do Balneário Piçarras e foi escolhido um grupo musical para animar com músicas o povo.
Tudo seria ótimo se o grupo de música não tivesse feito uma equivocada escolha quanto ao que cantar para aquele seleto público.
O grupo musical realmente é bom, tem bons cantores e nos instrumentos não deixam em nada a desejar para os grupos famosos do país, só pecaram na grade musical. Sabendo que era um evento que reunia famílias, deveria cuidar nas músicas escolhidas.
Em determinado momento do show, o grupo cantou ‘QUERO QUE TU VÁ, cuja letra incomodou grande parte de quem estava com filhos, netos e pais de mais idade. A letra grosseira diz:

“... Eu quero que tu vá, Vá tomar no cú
Para de tomar conta da minha vida
E vai pra puta que pariu
Aonde já se viu? Hoje eu 'tô tipo tolerância zero’...”

Uma canção recheada de palavrões fortes e grosseiros que fez parte do público dar meia volta e se retirar do local.
Nada contra o grupo musical, o erro foi da Prefeitura de Piçarras que não fez um pente fino sobre o que seria cantado. Claro que vai sentir na pele o resultado desta omissão, várias famílias não voltarão no próximo ano para passar a virada ali, deixando de contribuir com as finanças do município e do comércio local.
Lamentável o fato de que, após o fim da canção, um dos vocalistas usa a arte da vitimização e ironiza ao microfone o fato da música ter uma letra ofensiva.
A virada de ano naquele balneário, sempre foi um evento familiar, até porque Piçarras tem essa vocação de reunir as famílias. Quando a Prefeitura ignora esse fato, ela toma atitudes de expulsar o veranista de suas terras.
Esperemos que o fato tenha repercussão avaliativa por parte do Poder Público daquele município.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Equipe de Jornal da Rede Globo prega intolerância religiosa

Após a futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves ter dito que teve uma visão de Jesus Cristo em uma goiabeira quando estava prestes a tirar a própria vida, tem sido maldosamente atacado por parte da imprensa que não tem compromisso com o respeito às escolhas alheias.
Quando você pensa que é de cima que vem o exemplo, é aí que você se frustra.
A maior emissora de televisão do país, a Rede Globo, que promove uma gigantesca campanha pelo respeito às escolhas de cada pessoa, independente e sexo, cor da pela ou religião, foi ela que deu um péssimo exemplo de intolerância religiosa.
A conta oficial do twitter do programa Globo Rural satirizou a fala da futura ministra. Até aí, tudo bem, mas a sátira foi sobre o testemunho religioso que a mesma deu.





segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Luz misteriosa apareceu no ventre da Virgem de Guadalupe durante uma missa para crianças abortadas


Fiéis do mundo todos estão surpreendidos com a luz misteriosa que apareceu no ventre de Nossa Senhora de Guadalupe durante uma missa para crianças mártires abortadas, na Basílica dedicada a santa no México. 
Centenas de fiéis que estavam presentes na Santa Missa perceberam a luz, e logo, começaram a fotografar, enquanto a imagem de Nossa Senhora começou a apagar-se, enquanto uma luz intensa emanava do seu ventre, constituindo um halo brilhante tendo a forma de um embrião.
Segundo os devotos, essa luz provinha do ventre da imagem da Santíssima Virgem Maria e não era um reflexo, nem um artefato.
O engenheiro Luis Girault, foi convidado para examinar a imagem, e confirmou a autenticidade do negativo e especificou que não foi e nem houve modificação ou alteração no quadro oficial.
Ele revelou que a luz não provinha de nenhum reflexo, mas saia literalmente do interior da imagem da Virgem.
A luz era muito branca, pura e intensa, muito diferente dos clarões fotográficos habituais, produzidos pelos flashes.
Esta luz era envolvida por um halo com a forma de um embrião.
Examinando ainda mais precisamente esta imagem, distingue-se no interior do halo certas zonas de sombra que são características de um embrião humano no seio materno.
Fonte: https://www.frontcatolico.com.br/2018/08/luz-misteriosa-apareceu-no-ventre-da.html?m=1&fbclid=IwAR3aQKaX8QVoS6vuYHils3GuXNp_2HUDIIlDhbgpT2gXU6c2lxoJ1u1Xe1k


quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Entenda o que será a Audiência sobre a descriminalização do aborto

Resultado de imagem para aborto
Entenda o que está em jogo: os conceitos de "vida humana" e "democracia" estão prestes a enfrentar um momento crítico e precisam de reforços:

Nesta sexta-feira, 3 de agosto, e na segunda, dia 6, o Supremo Tribunal Federal (STF) promove audiência pública sobre a descriminalização do aborto no Brasil até a 12ª semana de gestação. Por “descriminalização”, entende-se que o aborto seria legalmente livre durante os primeiros 3 meses da gravidez, independentemente de motivo: bastaria apenas a decisão da gestante para executá-lo. O Sistema Único de Saúde (SUS) realizaria o aborto na rede pública.Entenda o que será essa audiência:

O conteúdo da audiência

  • Esta audiência pública é uma etapa dentro do processo que analisa a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442, ajuizada pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL).
  • As ADPFs visam solucionar dúvidas a respeito da interpretação de uma determinada lei, de modo a julgar a sua constitucionalidade.
  • O PSOL questiona, nesta ADPF, os artigos 124 e 126 do Código Penal Brasileiro, que criminalizam a prática do aborto no país. Para o autor da ação, os dispositivos questionados ferem princípios constitucionais como a dignidade da pessoa humana, a cidadania, a não discriminação, a inviolabilidade da vida, a liberdade, a igualdade, a proibição de tortura ou o tratamento desumano e degradante, a saúde e o planejamento familiar das mulheres e os assim chamados “direitos sexuais e reprodutivos”.

A sombra da ideologia e da subjetividade

  • O que será discutido, portanto, são interpretações subjetivas e ideológicas. E o caráter subjetivo e ideológico da arguição do PSOL fica evidente já no contrassenso de alegar que o aborto, que é o extermínio de um bebê em gestação, seria um recurso legal para garantir justamente a inviolabilidade da vida (!)
  • A se questionar: interpretações subjetivas e ideológicas podem determinar o julgamento de algo tão objetivo quanto a inviolabilidade de toda vida humana em qualquer dos seus estágios? É aceitável que conceitos objetivamente científicos, como a formação de um embrião, sejam relegados a segundo plano diante de interpretações meramente ideológicas? Há algo de científico em alegar que um ser humano não é um ser humano até que se complete um prazo convencionado por opiniões de legisladores ou de juízes pressionados por agrupações ideológicas? Há algo de científico em alegar que, antes do prazo “mágico” de 12 semanas, o que estava em gestação era um ente de outro gênero que não o humano? É mesmo constitucional atribuir a quem quer que seja o “direito” de eliminar um ser humano, inclusive por mero voluntarismo, e ainda alegar que essa eliminação é um ato de proteção à inviolabilidade da vida?

A sombra do ativismo judicial

  • O peso da subjetividade e da ideologia nesta discussão se mostra ainda mais grave quando se considera que não cabe ao STF transformar a Constituição, mas sim salvaguardá-la tal como ela foi promulgada. Portanto, está em jogo nesta ADPF, além da relativização interpretativa do que é a vida humana, também o próprio conceito de democracia, cuja essência exige que não haja ninguém com poderes absolutos. No entanto, não há hoje no Brasil nenhuma autoridade que possa fiscalizar os ministros do STF – nem mesmo caso eles cedam a arguições subjetivas e ideológicas claramente contraditórias, como a que alega que matar um bebê seria respeitar a inviolabilidade da vida.
  • Quando juízes cedem a ideologias, eles se rebaixam ao mero ativismo judicial. A este respeito, são úteis o seguintes vídeos da série “Ativismo Judicial é Crime“:

A audiência

  • A ministra Rosa Weber, como relatora da ADPF 442, convocou em março a audiência que está prestes a se realizar nestes dias 3 e 6 de agosto. Segundo a ministra, esta discussão é um dos “mais sensíveis e delicados” temas jurídicos, já que envolve razões e motivos de ordem ética, moral, religiosa e de saúde pública, além da tutela de direitos fundamentais individuais.
  • A audiência acontecerá na sala de sessões da 1ª Turma do STF. Pela manhã, começará às 8h20 e, pela tarde, às 14h30.
  • Haverá transmissão ao vivo pela TV Justiça, pela Rádio Justiça e pelo canal do STF no YouTube.

Os participantes da audiência

  • Segundo Rosa Weber, houve mais de 180 pedidos de habilitação de expositor na audiência, desde pessoas físicas com potencial de autoridade e representatividade até organizações não governamentais e institutos específicos, envolvendo entidades da área de saúde, institutos de pesquisa, organizações civis e instituições de natureza religiosa e jurídica.
  • Cada representante das entidades habilitadas terá 20 minutos para a sua exposição.
  • As duas sessões da audiência pública (3 e 6 de agosto) reunirão mais de 40 representantes de diversos setores envolvidos na discussão do aborto, entre instituições e organizações nacionais e internacionais – inclusive algumas ligadas a poderosos conglomerados mundiais da indústria do aborto, como a rede norte-americana Planned Parenthood, acusada de tráfico de órgãos e células de bebês que foram mortos em sua vasta cadeia de clínicas de aborto.
  • Os participantes da audiência exporão informações e pontos de vista sobre o aborto, tanto a favor quanto contra – e, a julgar pelo histórico, tanto reais quanto descontextualizados e manipulados.
  • Entre os expositores estarão representantes do Ministério da Saúde, da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), da Academia Nacional de Medicina, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), do Conselho Federal de Psicologia e da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Fonte: https://pt.aleteia.org/2018/08/01/em-resumo-o-que-e-a-audiencia-do-aborto-marcada-para-estes-dias-3-e-6/?utm_campaign=Web_Notifications&utm_source=onesignal&utm_medium=notifications

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Arbitragem parece não ter aprendido nada na Copa

A Copa do Mundo sediada na Rússia trouxe alguns aprendizados para o futebol mundial:
- Árbitros dando acréscimos descentes, não apenas os 3 minutos mentirosos.
- O cuidado com as inúmeras câmeras espalhadas pelos estádios.
- A preocupação em jogar bola e não em fazer cera.
Mas ainda há muito que se aprender, claro, se os árbitros tiverem a humildade de querer aprender.
Nesta quarta-feira (18), na partida entre Flamengo e São Paulo no Rio de Janeiro pela 13ª rodada do brasileirão, o árbitro Paulo Roberto Alves Júnior (PR) foi extremamente antijogo, foi muito fuim. Parou o jogo a toda hora, fazia vistas grossas às ceras dos atletas, falou demais e excessivamente com os atletas, segurou a partida. Não teve jogo. No fim deu menos de 50% de bola rolando. É isso que a CBF aprendeu na Copa?

quarta-feira, 18 de julho de 2018

Feministas invadem Igreja e profanam missa com gritos em favor do aborto

Nunca vi pessoas que são contrárias ao aborto invadirem reunião de feministas ou abortistas aos gritos para se fazer ouvir!
Quatro mulheres, gritando em favor do aborto, interromperam uma missa que foi celebrada neste último domingo ao meio-dia na igreja do Sagrado Coração, mais conhecida como a “Igreja dos Capuchinhos”, localizada na cidade argentina de Córdoba.
As mulheres, entre 20 e 32 anos, entraram no templo e foram ao altar “proferindo slogans ofensivos para a fé católica”, segundo a Polícia de Córdoba.
De acordo com o relatório policial, duas bandeiras e uma câmera foram confiscadas.

Então, uma pessoa que testemunhou o fato, fez uma queixa na Unidade Judicial No. 4 pelo crime contra a propriedade, contra mulheres que foram presas por violação do Código de Coexistência.
A polícia também ofereceu proteção ao padre Sauro Ceccarelli, que oficiou na missa.
Fonte: https://filhosdedeus.blog.br/2018/07/feministas-invadem-igreja-e-profanam-missa-com-gritos-em-favor-do-aborto/

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Carro é totalmente consumido pelo fogo, menos a teca com a Eucaristia

Um carro foi parcialmente consumido pelo fogo, e nesse carro estava uma TECA (objeto onde é colocado a Hóstia consagrada para ser levada a um doente), um papel de oração e um Terço, esses três objetos sagrados não foram consumidos pelo fogo.Não houve feridos graças a Deus. “E a providência de Deus se fez presente no dia de hoje! O carro incendiou-se totalmente, não houve feridos. E ainda o milagre presente. Não sobrou nada por causa do fogo, só restaram cinzas, exceto a Teca, onde se carrega o corpo de Cristo, o terço e o panfleto de uma oração, que rogava pelo Papa e falava da Eucaristia, que ficaram intactos, sem se queimarem ou se molharem pelas águas dos bombeiros. E há quem não acredite na força da oração e da Eucaristia. Gratidão Senhor, pela proteção! 

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Padre é preso por aconselhar mulheres a não fazerem aborto

Um sacerdote católico foi preso por ter aconselhado mulheres dentro de uma clínica de aborto. Acusado de “invasão à propriedade privada”, ele irá passar uma semana na cadeia.
Stephen Imbarrato se autodefine como um “padre do protesto”. Nas redes sociais publica fotos dele sendo preso em manifestações contrárias ao aborto.
O sacerdote participa do “Resgate da Rosa Vermelha”, uma campanha para que padres entrem nas salas de espera de clínicas que realizam aborto e distribuam rosas vermelhas, além de pedir que as mulheres não abortem seus bebês.
Após sua tentativa de resgatar vidas de bebês não nascidos em uma clínica em Washington, D.C., ele e outro ativistas foram presos por invasão de propriedade privada.
Nesta segunda-feira (2), o juiz Robert Morin, da Suprema Corte de Washington, considerou Imbarrato – juntamente com Julia Haag e Joan McKee, que o acompanhavam – culpados das acusações.
Inicialmente, o magistrado apenas proibiu-os de entrar novamente na clínica no local do aborto, mas o padre declarou que não poderia cumprir a determinação. Mesmo explicando que respeita a autoridade, declarou que “rejeito a decisão de um governo corrupto e imoral que sanciona, protege através de seus tribunais e financia o assassinato em massa diário de milhares de bebês inocentes”.
Assim que Imbarrate disse que o juiz teria de prendê-lo se quisesse impedir que ele voltasse à clínica, o juiz Morin o condenou a sete dias de prisão.
Ao site LifeSite, o sacerdote afirmou acreditar que foi condenado por “oferecer aconselhamento”, o que não invadiu o local, já que a porta estava aberta. Mesmo assim,  espera que o incidente “motive mais pessoas” a “refletir sobre o que é uma resposta minimamente proporcional ao assassinato contínuo dos não-nascidos”

quarta-feira, 30 de maio de 2018

É preciso amadurecer! Nem toda crítica é movida por cor da pele ou sexo!

O vitimismo é a praga do século. Artista não pode ser tocado que apela para cor ou sexo. Precisa trabalhar a autoestima. Autoestima não é escrever .
Auto estima é ouvir o contraditório e tocar a vida. Nem sempre somos unanimidade.
No Twitter respondi a uma propaganda feita pelo Fantástico do novo clipe da cantora Gaby Amaranto, ao que respondi que não queria ver porque poderia me pifar o cérebro.
O estilo musical e os apelos 'sensuais' que a cantora tem feito uso para atrair fãs não me seduzem. Sou bem eclético, mas não gosto dos gêneros bem cariocas apadrinhados pela Globo.

Ao receber meu comentário, acredito que não deva ser a cantora, mas, pelas palavras usadas alguma assessora militante de esquerda que me respondeu:
Antes dos dois anos de idade perdi meu pai biológico num acidente. Minha mãe se casou com um homem negro, sem estudo qualquer, mas que me educou, foi e sempre será meu modelo. Sim, negro e com muito orgulho. Lembro que quando criança andávamos de mãos dadas pelo Centro da nossa cidade, ele negro e eu muito branco, claro que os olhares eram em nossa direção. Mas nunca me importei com nada disso, foi e é um baita pai. Hoje ele resolveu tomar outros rumos na vida, está com outra pessoa, mas em nada mudou nosso relacionamento, ele meu pai e eu seu filho.
Relato isso para mostrar à assessora da cantora que nem todas as críticas que recebemos na vida são movidas por sexo ou cor da pele.

Para deixar claro à ela que não sou racista ou contra os indígenas (nem sei onde ela leu isso), enviei mais dois posts para mostrar à cantora que não referi por ela ser mulher, negra ou muito menos indígena:
O vitimismo é a praga do século, a grande herança dos 13 anos de governo de esquerda no país. Artista não pode ser tocado que apela para cor ou sexo. O artista, assim como todos nós, precisa trabalhar a sua autoestima. Autoestima não é escrever  nas redes sociais, isso é declaração de estima perigosamente baixa, precisa de ajuda profissional. Autoestima é ouvir o contraditório e tocar a vida, porque nem sempre somos unanimidade.

Menos. O país está prestes a explodir numa guerra civil e não podemos ficar iniciando uma guerra a cada pessoa que nos olha atravessado. Em momento algum me referi a cantora por ser mulher, por ser da cor negra (meu pai é negro repito). Apenas me referi que não gosto do estilo musical dela, assim como também não consigo ouvir o atual funk carioca. Sou do tempo do 'charme', da bossa nova.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

PM atira em caminhoneiro durante manifestação em SC

Nasci em 1974 e cresci ouvindo que a Polícia existe para proteger o cidadão.
Sabemos que em toda família existe uma ovelha negra, mas esse ditado não pode ser verdade quando falamos de saúde, educação ou segurança pública.
Lamentavelmente sempre há exceções.
Nas manifestações pela baixa do preço do combustível, aconteceu um fato desagradável na rodovia no norte de Santa Catarina.
Um policial militar atirou contra um caminhoneiro manifestante.
Sabemos que a atitude isolada desse 'homem da lei' não representa o pensamento da corporação muito menos mancha a imagem que a competente Polícia Militar de Santa Catarina goza para com a comunidade.
Este fato mostra que este indivíduo é despreparado para estas situações.
Depois de mais de uma década com esse grupo à frente da nação mexendo no câmbio e nos juros jogando a economia pra lá e pra cá, se se preocupar com as consequências, é preciso que esse 'gigante' não apenas acorde, mas aja de forma proativa para que retomemos o controle da república.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

Mais uma vez o TJD querendo aparecer...


Em sessão realizada na noite desta terça-feira (8), o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) decidiu punir o JEC com a interdição da Arena Joinville.
São duas citações na denúncia: a primeira, que um torcedor do Joinville invadiu o gramado após a partida para ir ao encontro dos torcedores do Figueirense.
DETALHE: Um caso apenas de invasão (uma só pessoa) nos 14 anos que a Arena existe.
A segunda citação: Interdição a pedido da Polícia Militar (PM), que solicita o aumento das grades das arquibancadas da Arena para 2,10 metros.
DETALHE: Em todos os estádios modernos em campeonatos oficiais, a pedido da FIFA (órgão máximo do futebol mundial), está se fazendo separações apenas simbólicas entre campo e torcida, mostrando que o local é para a prática e a apreciação do esporte. No mundo todo e principalmente nas Arenas feitas para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, a medida tem dado certo.
Agora, o TJD e o Comando da Polícia Militar querem nadar contra a correnteza.
É um desserviço ao futebol, ao esporte e aos milhares de joinvilenses que são um povo ordeiro e trabalhador esta medida.
Porque não se pune a torcida organizada responsável pela invasão de apenas um só torcedor no campo? O TJD e a PM não devem ter competência para barrar a entrada dos mesmos, aí resta punir o coletivo, mostrando que retornamos à idade medieval onde quem está no mais alto escalão grita e a plebe baixa a cabeça e segue.
Uma coisa apenas tiramos, se o JEC for obrigado a aumentar as grades simbólicas que tem na Arena para satisfazer os caprichos de quem senta no trono de terno e gravata, podem fechar e cadear as portas da Arena Joinville, pois a torcida desta cidade não aceitará ser submetida a passar tamanha vergonha, ah, mas não seria justamente isso que o TJD e o Comando da Polícia Militar querem? Afinal, ambos ficam na capital.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

A imagem do Santo Sudário, reconstruído em 3D

“Esta estátua é a representação tridimensional do Homem do Sudário, em tamanho natural, feita com base em medidas milimétricas tomadas do pano em que o corpo de Cristo foi envolvido após a crucificação”.
Quem explica é Giulio Fanti, professor de medições mecânicas e térmicas na Universidade de Pádua e estudioso da relíquia, uma das mais enigmáticas e apaixonantes do mundo cristão (e também do mundo incrédulo). Com base em suas medições, o professor fez a reconstituição em 3D que, a seu ver, permite afirmar que essas são as reais características do Cristo crucificado.“Consideramos que finalmente estamos diante de uma imagem precisa de como era Jesus nesta terra. A partir de agora não será mais possível retratá-lo sem levar em conta este trabalho”.
O professor concedeu à revista italiana Chi a conversa exclusiva em que afirmou:“Segundo os nossos estudos, Jesus era um homem de extraordinária beleza. Longilíneo, mas muito robusto, tinha 1m80 de altura, quando a altura média naquele tempo era de cerca de 1m65. E tinha uma expressão real e majestosa” (cf. Vatican Insider).
“No Sudário eu contei 370 feridas de açoites, sem considerar as laterais, que o pano não revela porque envolveu apenas a parte anterior e a posterior do corpo. Mas podemos supor pelo menos 600 golpes. Além disso, a reconstrução tridimensional permitiu observar que, na hora da morte, o Homem do Sudário pendeu para a direita, porque o ombro direito foi deslocado de modo tão grave que lesou os nervos” (cf. Il Mattino di Padova).
As perguntas envoltas no mistério do Sudário são desafiadoras. Mais informações científicas e históricas podem ser encontradas acessando-se este artigo.
É notório que, nesse homem torturado, vemos sinais inquestionáveis de sofrimento. Os olhos da fé enxergam nele o homem por excelência, aquele que foi apresentado pela arrepiante frase “Ecce Homo”, “Eis o homem”; aquele que foi visto manso e majestoso diante de Pilatos, mas que sofreu terrível flagelação, espancamentos, coroação de espinhos, subida ao Calvário carregando aos ombros a própria cruz, crucificação como inocente e morte pela nossa redenção.
Acreditar na autenticidade do Sudário não é obrigatório para nenhum cristão. Mas o carácter excepcional daquele pano fúnebre e seus séculos e séculos de mistério fascinante e desafiador provoca o nosso entendimento e as nossas certezas, tal como fez aquele Nazareno que desafiou as nossas certezas ao amar os seus perseguidores, a perdoá-los do alto da cruz e derrotar a morte para sempre.
https://pt.aleteia.org/2018/03/28/o-homem-do-sudario-reconstruido-em-3d-era-jesus-sera-que-ele-era-assim/

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

PORQUE É TÃO DIFÍCIL RESPEITAR AQUELE QUE PENSA DIFERENTE DE MIM?

RESPEITAR o outro sem invadir o seu direito de ser quem ele é, virou um dom que poucas vezes vemos nos dias de hoje.
Seria muita presunção da nossa parte querer que o outro pensasse como nós.
É por isso que a humanidade criou as LEIS. Elas, ao contrário do que muitos pensam, existem para colocar todos no mesmo patamar. Perante a Lei todos nós somos iguais, temos direitos, mas temos também deveres.
A falta de temperança, de maturidade, duas coisas que levam o ser humano a acreditar que tem o direito de invadir o direito que o outro tem de pensar do seu jeito particular, isso me incomoda.
Quem sou eu para querer obrigar o outro a pensar como eu?
Olhemos o exemplo da fé. A fé islâmica esta sim é IMPOSTA, ou você pensa igual ou morre.
A fé cristã não, ela é PROPOSTA. Ela é assim, você crê se quiser, ninguém o obriga.
Escrevo isso porque recebi de algumas pessoas críticas sobre meu posicionamento sobre a condenação de Lula. Duas pessoas chegaram a dizer que se decepcionaram por eu optar por não concordar com o jeito deles de pensar. Amor, carinho, admiração, afeto, são valores que não se compra, se conquista. Deixar de dá-los por que o outro não pensa como eu é sinal de que é preciso rever minhas convicções cristãs.
A maior prova de que minha fé está em Jesus Cristo e não nas pessoas se percebe no fato de eu amar e respeitar o outro mesmo ele pensando diferente de mim.
O episódio da derrota do recurso impetrado pelos advogados de Lula no TRF4, mostra que parte do nosso povo, de fora e de dentro da igreja, precisa amadurecer.
Por ter algum conhecimento de política, conhecer os meandros desta ciência e acompanhar de ‘dentro’ os episódios na última década, eu me posicionei contrário à forma que o Partido dos Trabalhadores e sua chapa administrou o país.
Minhas redes sociais são abertas, todos podem acessar e ver meus posicionamentos sobre determinados assuntos.
Sou uma pessoa pública e como tal, tenho minhas posições. Uma coisa que jamais fiz ou farei é usar de palavras de baixo calão (como vejo em alguns casos) para citar este ou aquele sujeito.
NÃO ENTRO NA REDE SOCIAL DE OUTRAS PESSOAS PARA CRITICÁ-LAS PPOR PENSAREM DIFERENTE DE MIM.
Acredito ser um território pessoal, íntimo, particular. É um local que faz parte da vida da pessoa e como tal, merece o meu respeito.
Não é por ser religioso, ser um formador de opinião que ficarei escondido, muito pelo contrário meus queridos.
Sobre o PT eu posso falar, já fui filiado e conheço bem o grupo.
Dizer que Lula é o único culpado seria no mínimo insensatez e leviano, mas ele precisava entender que ninguém está acima da Lei.
Foi este o recado que o Judiciário quis dar ao negar o recurso dos advogados de Lula.
Como negar os fatos se o Ministério Público teve mais de 400 páginas para ler durante a acusação?
Que Nossa Senhora da Conceição Aparecida, padroeira da Terra de Santa Cruz nos abençoe e que a partir de agora, todos os políticos e partidos que assaltaram o povo trabalhador possam também responder pelos seus crimes.
QUE CADA UM DE NÓS, PENSANDO IGUAL OU DIFERENTE, POSSAMOS RESPEITAR O PENSAR DO OUTRO.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Pare com a histeria: justiça não autorizou “tratamento da homossexualidade como doença”

Resultado de imagem para respeito
Quem afirma que esta decisão judicial “tratou a homossexualidade como doença” ou que “foi instalada a ‘cura gay'” age de forma desonesta ou é analfabeto. Não há meio termo. É desonesto quem entendeu – e sabe que não é nada disso. 
É analfabeto quem leu e não entendeu – porque o Juiz Federal não disse nada (nada!) sobre considerar doença.
Pelo contrário, a decisão preserva a redação integral da Resolução nº 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia, apenas afirmando que “a fim de interpretar a citada regra em conformidade com a Constituição, a melhor hermenêutica a ser conferida àquela Resolução deve ser aquela no sentido de não privar o psicólogo de estudar ou atender àqueles que, voluntariamente, venham em busca de orientação acerca de sua sexualidade, sem qualquer forma de censura“.
No dispositivo é possível perceber que a determinação judicial consiste apenas em “determinar ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete (a Resolução nº 01/1999) de modo a impedir psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia”.
A decisão judicial é, portanto, correta. 
Resultado de imagem para quer respeito respeite
Não fere a orientação sexual de ninguém, não trata qualquer condição sexual como doença e apenas garante que, se o indivíduo quiser – mediante escolha livre e consciente – procurar um psicólogo, terá o direito de ser ouvido e o profissional poderá realizar estudos e atendimentos reservados, tudo para que seja preservada a vontade espontânea do paciente.
É algo mais ou menos assim: se um homem que se diz heterossexual precisa de ajuda e orientação para tornar pública a sua homossexualidade, ele pode procurar um psicólogo e o profissional poderá ajudá-lo no enfrentamento dessa etapa. 
A decisão permite apenas o caminho inverso. Que mal há nisso?
Se você leu as palavras do magistrado e encontrou “cura gay” você precisa estudar ou parar de ser desonesto. Isso não é questão de opinião, é simples capacidade de inteligência.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Feministas desprezam respeito e urinam no altar de Igreja Católica

Uma ativista que disse pertencer ao grupo feminista Femen simulou nesta sexta-feira  um aborto antes de urinar em frente ao altar da igreja da La Madeleine em Paris, indicaram fontes concordantes, no dia seguinte a uma ação parecida na Praça São Pedro. A ativista, com os seios expostos, se dirigiu para o altar na manhã desta sexta-feira (20) no momento que cerca de dez integrantes de um coral ensaiavam.
Segundo o padre, a jovem depositou um pedaço de fígado de boi representando um feto antes de urinar nas escadas do altar.
Ela deixou a igreja sem pronunciar uma única palavra.
Segundo um fotógrafo da AFP, as palavras “344 cadelas” estavam escritas em sua barriga, em referência ao manifesto das 343 mulheres que assinaram na França um pedido pela descriminalização do aborto e pela legalização da interrupção voluntária da gravidez em abril de 1971.
Em suas costas estava escrito “Christmas is aborted” (O Natal está abortado).
Uma investigação policial foi iniciada depois que o padre apresentou uma queixa contra a ativista.

Na quinta-feira, uma ucraniana do Femen tirou sua camisa na Praça São Pedro, no Vaticano, para protestar contra a condenação do aborto pela Igreja Católica.

Fonte: https://frontcatolico.blogspot.com.br/2017/09/feministas-simulam-aborto-e-urinam-em.html?m=0