quarta-feira, 26 de abril de 2017

Bispo reforça que Reforma da Previdência deve priorizar os mais vulneráveis

Resultado de imagem para Dom Dimas Lara Barbosa
Começou nesta quarta-feira, 26, a 55ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, em Aparecida (SP). Segundo o Arcebispo de Campo Grande (MS), Dom Dimas Lara Barbosa, assuntos políticos também estarão em pauta do evento, que, como acontece em todas as Assembleias, os bispos fazem uma análise da atual situação sócio-econômica do país.
“Todos as nossas Assembleias e reuniões fazemos a análise política do país. Isso não vai ser diferente agora, ou seja, haverá uma análise sócio-política e econômica e, a partir daí, encaminhamentos conclusivos que a assembleia julgar necessário.”
Referente a posição da CNBB sobre a PEC 287/16 que visa a Reforma da Previdência, Dom Dimas enfatizou a posição da instituição quanto à Proposta de Emenda:
“Houve uma manifestação do conselho permanente a um mês atrás sobre a Reforma da Previdência. Já foi colocado que mesmo reconhecendo uma necessidade da reforma, é preciso que essa ela não deixe de considerar os mais vulneráveis. Tratando também de maneiras diferentes os que são diferentes: homens, mulheres, populações tradicionais, indígenas, população rural e urbana, sobretudo as pessoas que são mais vulneráveis e necessitadas”.
O Arcebispo afirma que é cedo para dizer se a Reforma afetará positiva ou negativamente a população, mas que espera por conclusões positivas da parte do governo. “Esperamos que o Congresso faça o papel de fiscalizar o governo, de forma que, o que vier a ser proposto, leve em consideração o maior número de pessoas possíveis e, sobretudo, aqueles que mais precisam”.
Em uma nota conjunta publicada no último dia 19, a CNBB, junto à OAB e o COFECON, reforçou seu posicionamento quanto à Proposta da Reforma. O documento reitera que nenhuma reforma que afete direitos básicos da população pode ser formulada sem a devida discussão com o conjunto da sociedade e suas organizações.
Assinaram a nota, o secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner; o presidente da OAB, Cláudio Lamachia; e o presidente do Cofecon, Júlio Miragaya. Leia a íntegra do texto.
A 55ª Assembleia Geral dos Bispos segue até o dia 6 de maio, no Centro de Eventos Padre Vitor Coelho, em Aparecida.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/brasil/bispo-reforca-que-reforma-da-previdencia-deve-priorizar-mais-vulneraveis/

terça-feira, 25 de abril de 2017

Flamengo lança novo uniforme para a temporada

Fazendo a alegria de quase 40 milhões de brasileiros!

Nova Camisa do Flamengo

Nova Camisa do Flamengo

Nova Camisa do Flamengo

Fonte: http://www.lance.com.br/flamengo/flamengo-lanca-novo-uniforme-para-temporada-confira-fotos.html?utm_source=dlvr.it&utm_medium=twitter

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Câmara dos Deputados diz que STF vai “atentar contra a soberania popular” se liberar aborto

Câmara dos Deputados posiciona-se contra a descriminalização do aborto via STF, conforme pede ação do PSOL
Resultado de imagem para aborto
A Câmara dos Deputados posicionou-se contra a liberação do aborto via STF, conforme solicita uma ação do PSOL que corre na corte. A manifestação da casa foi assinada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e enviada ao Supremo na última quinta-feira (20/04).  Nela, o deputado afirma que “caso o Supremo Tribunal Federal declare a não recepção dos artigos 124 e 126 do Código Penal, excluindo de seu âmbito a interrupção da gravidez induzida e voluntária realizada durante as 12 primeiras semanas de gestação, estará, em verdade, descriminalizando a conduta, adentrando a competência legislativa do Congresso”.
Em outro trecho, o documento também afirma que o STF violará a separação de Poderes, caso resolva atuar como verdadeiro legislador positivo onde sequer há omissão legislativa, e que isso também seria um “atentado contra a soberania popular, manifestada por seus representantes eleitos”.
Com mais essa manifestação, até agora, todas as instituições consultadas pelo STF a respeito da ação movida pelo PSOL declararam-se formalmente contrárias a essa indecorosa invasão de competência que descriminalizaria o aborto no país.
Por Jônatas Dias Lima
Fonte: http://www.semprefamilia.com.br/blog-da-vida/camara-diz-que-stf-vai-atentar-contra-a-soberania-popular-se-liberar-aborto/

Jesus está abando o Egito!

    Depois do haitiano que ficou 27 dias nos escombros e disse que uma pessoa lhe deu água, veja a notícia interessante que vem ao nosso conhecimento.
     Um muçulmano egípcio matou sua esposa porque ela estava lendo a Bíblia e então a enterrou com seu bebê nascido há poucos dias e uma filha de 8 anos de idade.
     As crianças foram enterradas vivas! Ele então disse à polícia que um tio havia matado as crianças. Quinze dias mais tarde, outra pessoa da família morreu.
  
    Quando foram enterrá-la, encontraram as duas crianças sob a areia? E VIVAS!
     O país ficou em choque e o homem será executado... Perguntaram à menina de 8 anos como ela havia conseguido sobreviver por tanto tempo e ela disse: "Um homem que usava roupas brilhantes e com feridas que sangravam em suas mãos, vinha todos os dias para nos alimentar. Ele sempre acordava minha mãe para dar de mamar à minha irmã".
    Ela foi entrevistada no Egito numa TV  nacional por uma mulher jornalista que tinha o rosto coberto. Ela disse na TV pública, 'Foi Jesus quem veio cuidar de nós, porque ninguém mais faz coisas como essas!'
     Os muçulmanos acreditam que Isa (Jesus) aparecerá para fazer coisas desse tipo, mas as feridas em Suas mãos dão provas de que Ele realmente foi crucificado e que Ele está vivo!
     Também ficou claro que a criança não seria capaz de inventar essa história e não seria possível que essas crianças vivessem sem um milagre verdadeiro.
     Os líderes muçulmanos terão muita dificuldade em lidar com essa situação e a popularidade do filme 'Paixão de Cristo' não os ajuda!
     Como o Egito está bem no centro da media e da educação do Oriente Médio, você pode ter a certeza de que essa história vai se  espalhar rapidamente.
Jesus Cristo ainda está deixando o mundo de pernas para o ar!
    'O Senhor diz, 'Abençoarei a pessoa que colocar Sua confiança em mim''
(Jeremias 17).
Jesus disse: "Se me negas entre os homens, te negarei diante do Pai".

Fonte: http://joaosilvio.blogspot.com.br/2013/12/sobre-jesus-uma-noticia-que-esta.html?m=1

Arbitragem mantém Figueirense na elite do futebol catarinense

A arbitragem em Santa Catarina é uma das piores do mundo. 
Não estou falando de erros, mas de árbitros sem a capacidade para apitarem com lisura.
O que vimos este ano foi de deixar o apaixonado por futebol no Estado horrorizado.
O leitor diga sem pensar muito, qual o time mais ajudado pelos 'erros' da arbitragem em Santa Catarina? Todos os caminhos conduzem ao clube do Estreito. Sim, já virou piada em todo o Estado, a forma escrachada com que nossos cartolas conseguem beneficiar o Figueirense Futebol Clube através da arbitragem.
Mas para não nos chamarem de atrasados e de viver remoendo o passado recente, vamos nos ater à este campeonato atual.


No sábado 25/03 no Orlando Scarpelli, o time do Estreito conseguiu 3 pontos, de que forma? Um pênalti que até hoje o Estado todo procura onde foi. Neste jogo o juiz André Luiz Back e seus auxiliares Eli Alves Sviderski e Maycon Antônio Machado tiraram três pontos do debutante do estadual, o Almirante Barroso descaradamente.

Não bastasse essa 'ajudinha' que o time do Estreito ganhou da Federação, na rodada seguinte, o trio comandado por quem já é conhecido por gostar da dupla da capital (vide jogos anteriores) Héber Roberto Lopes, auxiliado por Eder Alexandre e Clair Dapper, mostraram toda a sua classe, toda a sua capacidade em estragar um jogo de futebol. Aos 36 minutos do segundo tempo, o assistente apontou o impedimento de Jheimy, mas um erro vergonhoso pois o lance foi claro e fácil. Qualquer criança perceberia que o atleta do tigre estava em situação legal. Eber Roberto Lopes presenteou o clube com 1 ponto. Outro ponto que o time da capital ganhou de presente. Assim é fácil.

Agora vejamos se a arbitragem influenciou ou não na tabela do estadual.
O Figueirense Futebol Clube, que neste ano fez um campeonato vexatório, que envergonhou o mais fanático manézinho do continente, ficou 1 ponto à frente dos dois clubes rebaixados.
Se a arbitragem não o ajudasse, o clube do Estreito terminaria o estadual na última posição, com miseráveis 15 pontos.
Impressionante com esse time do continente tem sorte em pegar juízes e bandeiras de generosos em o ajudar.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Quando você pensa que já viu tudo, vem o PT e te surpreende!

PT divulga nota em apoio à Venezuela
O Partido dos Trabalhadores divulgou nota, nesta segunda-feira (3), em que manifesta seu repúdio e oposição à forma como o governo golpista de Michel Temer tem conduzido a política externa do Brasil em relação à América do Sul.
“Particularmente, o desrespeito a princípios básicos de nossa diplomacia como a não ingerência em assuntos internos de outros países e o respeito à autodeterminação dos povos”, diz o documento assinado pelo presidente nacional do PT, Rui Falcão, e pela secretária de Relações Exteriores, Mônica Valente.
“É visível que o governo golpista decidiu encabeçar uma campanha da direita contra a esquerda no continente e assumiu uma postura belicista, particularmente contra a República Bolivariana da Venezuela”.
Leia a nota na íntegra:

“NOTA EM DEFESA DA VENEZUELA"
O Partido dos Trabalhadores manifesta seu repúdio e oposição à forma como o governo golpista vem manejando a política externa do Brasil no tocante à América do Sul e, particularmente, o desrespeito a princípios básicos de nossa diplomacia como a não ingerência em assuntos internos de outros países e o respeito à autodeterminação dos povos.
É visível que o governo golpista decidiu encabeçar uma campanha da direita contra a esquerda no continente e assumiu uma postura belicista, particularmente contra a República Bolivariana da Venezuela.
O governo usurpador aproveita-se de informações distorcidas disseminadas pela mídia para tentar justificar as medidas contra o país vizinho, inicialmente, suspendendo-o do Mercosul e agora nas palavras do ministro golpista das Relações Exteriores, aplicar a Cláusula Democrática do Mercosul “para expulsar a Venezuela” do bloco. Ele afirmou à Folha de S.Paulo que manter a Venezuela apenas suspensa, como está agora, “seria uma ficção que avacalharia o Mercosul”.
Ignora o chanceler que o Protocolo de Ushuaia não prevê o mecanismo de “expulsão”.
Como é sabido, há uma crise política na Venezuela, decorrente de uma disputa polarizada entre o governo de Nicolás Maduro e a oposição, majoritária no Parlamento. Porém, não existe a decisão do Tribunal Supremo de Justiça de retirar  os poderes do legislativo venezuelano e as imunidades de seus membros. O que existe é uma situação de desobediência do Parlamento no que tange a realizar novas eleições para definir três mandatos de deputados, impugnados pela justiça eleitoral, por terem comprado votos para se elegerem. Além disso, como o Parlamento se recusou a votar determinadas propostas administrativas advindas do Executivo, o Tribunal decidiu sobre o mérito a pedido do governo. Neste aspecto, não há diferenças entre o que ocorre na Venezuela e o que se passa corriqueiramente no Brasil na relação entre o STF e o Congresso Nacional.
Não interessa ao povo brasileiro, o rompimento do Mercosul e tampouco é vontade do povo brasileiro contribuir para a desestabilização de um país vizinho que sempre manteve boas relações com o Brasil.
Temos a convicção que o povo venezuelano saberá encontrar, por meios próprios, a solução para os seus conflitos. Exigimos que o Ministério de Relações Exteriores, em vez, de “jogar combustível” no conflito, busque soluções responsáveis tanto no âmbito do Mercosul quanto da OEA.

Rui Falcão - Presidente Nacional
Mônica Valente - Secretária de Relações Internacionais”

Sujeito confessa plano para assassinar o Papa Francisco durante viagem apostólica

Um jovem admitiu que estava envolvido em um complô para assassinar o Papa Francisco em uma das suas viagens apostólicas, segundo informações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. 
Na segunda-feira, 3 de abril, o jovem de 17 anos identificado como Santos Colon Jr. se declarou culpado por ter tentado proporcionar “apoio material a terroristas”.
Segundo indicam vários documentos, foi possível estabelecer que Colon, um cidadão dos Estados Unidos, admitiu que desde o dia 30 de junho de 2015 até 30 de agosto do mesmo ano, elaborou um plano para “realizar um ataque durante a visita papal à Filadélfia, Pensilvânia, em setembro de 2015”.O Departamento de Justiça indica que “o complô envolvia um franco-atirador para atirar no Papa durante a Missa papal e colocar vários explosivos nas áreas próximas ao local”.
Para realizar o seu plano, “Colon se comunicou com alguém que achava que era um franco-atirador, mas na verdade era um empregado disfarçado do FBI”, indica o texto. Além disso, ordenou a compra de “materiais para criar explosivos”.
O FBI prendeu Colon em 2015.
O jovem agora enfrenta a possibilidade de ser condenado a 15 anos de prisão, com uma multa de 250 mil dólares.
O Papa Francisco visitou os Estados Unidos em setembro de 2015, para o Encontro Mundial das Famílias, realizado na Filadélfia.
Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/sujeito-confessa-plano-para-assassinar-o-papa-francisco-durante-viagem-apostolica-42258/

Crise na Venezuela afeta até a fé dos fiéis na Semana Santa

É preciso recorrer ao mercado negro para encontrar farinha para fazer hóstias
A falta de farinha de Venezuela é tão grande que está em risco o fabrico de hóstias para a Semana Santa, noticia o jornal El Universal. “Se não há farinha, não há hóstias, e sem hóstias não há eucaristia”, disse a freira Concépcion Gómez, superiora das Servas de Jesus, na paróquia de Altagracia, um dos principais centros de produção de hóstias na capital.
É a primeira vez em 40 anos que se dá uma crise como esta, sublinhou a superiora da comunidade, que em situação normal produziria 80 mil hóstias diariamente. Falta farinha na Venezuela, e falta pão, e por causa disso o Estado tomou a decisão de expropriar padarias, a grande maioria das quais é propriedade de emigrantes portugueses e mandar perto de 4000 fiscais para as ruas, para verificar se os padeiros não desviam farinha para fazer bolos e croissants, bens de consumo mais caros.
Mas como o problema é a falta de matéria-prima, é improvável que a solução para haver pão – ou hóstias – esteja na intervenção estatal. A Federação da Indústria de Panificação diz que para garantir o fabrico contínuo de pão no país seria necessário que chegassem mensalmente à Venezuela 120 mil toneladas de trigo. Isso quer dizer que até Março deveriam ter entrado 360 mil toneladas, explica o jornal El Nacional. Mas só chegaram 90 mil toneladas, ou seja 25% do necessário. Não há nada para os extras da Páscoa, e a importação de cereais é um monopólio estatal. As freiras vêem-se obrigadas a recorrer ao mercado negro para encontrar farinha. As hóstias são finas, com pouca farinha, desintegram-se facilmente, e em algumas paróquias têm de ser racionadas, divididas em quatro pelos párocos. Quando tudo o resto falha, resta o apelo à solidariedade: é o caso da campanha “doe farinha por amor a Deus”, para tentar arranjar matéria-prima para a hóstias da Páscoa.

Fonte: https://www.publico.pt/2017/04/01/mundo/noticia/na-venezuela-falta-farinha-nem-para-as-hostias-da-semana-santa-1767387

quinta-feira, 30 de março de 2017

Papa alerta sobre risco de fiéis se tornarem "católicos ateus"

Para esse tempo de Quaresma, Francisco explica o verdadeiro significado do jejum / Foto: Rádio Vaticano
Na Missa desta quinta-feira, 24, na Casa Santa Marta, o Papa Francisco destacou que ouvir a Palavra de Deus evita o risco de endurecer o coração. Ao contrário, quando as pessoas não escutam a voz de Deus e viram as costas para Ele, acabam se distanciando Dele e se tornando católicos infiéis ou até mesmo “católicos ateus”.
Tomando como base um trecho do Livro do Profeta Jeremias, o Papa desenvolveu a sua meditação sobre a escuta da Palavra de Deus. “Quando não paramos para ouvir a voz do Senhor, nos distanciamos Dele, viramos as costas para Ele. E quando não ouvimos a voz de Deus, ouvimos outras vozes (…) No final – constatou amargamente o Pontífice – fechamos os ouvidos e nos tornamos surdos à Palavra de Deus”.
“Se hoje todos nós pararmos um pouco e olharmos para o nosso coração, veremos quantas vezes fechamos os ouvidos e quantas vezes nos tornamos surdos. Quando um povo, uma comunidade, mas também uma comunidade cristã, uma paróquia, uma diocese, fecha os ouvidos e se torna surda, não ouve a Palavra de Deus, procura outras vozes, outros senhores e acaba seguindo os ídolos, os ídolos que o mundo, a mundanidade, a sociedade lhes oferece. Se distancia do Deus vivo.”
Francisco acrescentou que, ao se distanciar de Deus, o coração se endurece, torna-se fechado em si mesmo. Vive, então, em um mundo que não lhe faz bem, que o distancia cada vez mais de Deus. A consequência disso é que se perde o sentido da fidelidade e, assim, a pessoa se torna um católico ateu.
“O Senhor diz na Primeira Leitura: ‘A fidelidade desapareceu’ e nós nos tornamos católicos infiéis, católicos pagãos ou pior ainda, católicos ateus, porque não temos uma referência de amor ao Deus vivo. Não escutar e virar as costas – que nos endurece o coração – que nos conduz ao caminho da infidelidade”.
“Hoje, podemos todos nos perguntar: Eu paro para ouvir a Palavra de Deus, pego a Bíblia, que fala a mim? Meu coração se endureceu? Eu me afastei do Senhor? Perdi a fidelidade ao Senhor e vivo com os ídolos que a mundanidade me propõe todos os dias? Perdi a alegria da maravilha do primeiro encontro com Jesus? Hoje é um dia para ‘escutar’: ‘Escutem hoje a voz do Senhor’, rezamos antes. ‘Não endureçam seu coração’. Peçamos esta graça. A graça de escutar, para que nosso coração não se endureça”.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/especiais/pontificado/francisco/papa-alerta-sobre-risco-de-fieis-se-tornarem-catolicos-ateus/

terça-feira, 28 de março de 2017

Bispo convoca católicos a erguer a voz contra ideologia de gênero e aborto no Brasil

O Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro, Dom Antônio Augusto Dias Duarte, fez um chamado aos católicos e às “pessoas de boa vontade que queiram ser os sentinelas do bem e da verdade” a levantarem suas vozes contra uma estratégia que está sendo colocada em prática no Brasil “em favor da descriminalização do aborto e da manipulação ideológica”.
Em um artigo intitulado “Custos, quid de nocte”, publicado no site da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Prelado lamentou que embora a vigilância seja “uma atitude tão recomendada nas páginas bíblicas”, o que se vê é “o avanço perigoso e veloz das mais variadas expressões do mal no mundo de hoje”.
“A Igreja Católica, nos tempos atuais da história da humanidade, deve assumir cada vez mais a atitude do sentinela do bem e ficar mais atenta aos perigos que ameaçam o nosso país”, alertou.
Tais perigos estão marcados pelo “marxismo político-partidário, a ideologia do gênero, o relativismo moral e sua destruição dos costumes, o consumismo materialista-capitalista, e tantas outras ondas de mentiras, maldades, violências, drogas, etc.”.
Dom Antônio Augusto explicou que “a vigilância é uma das mais expressivas provas da caridade cristã” e, portanto, não prevenir, proteger ou esclarecer as pessoas “dessas estratégias perversas, passa a ser uma das mais graves omissões presentes no seio da Igreja Católica nesses tempos últimos”. Para mostrar como tais realidades estão sendo infiltradas na sociedade brasileira, cita alguns casos concretos. Primeiramente, através dos meios de comunicação, especialmente a televisão.
De acordo com o Bispo, “a Rede Globo de Televisão tornou-se um depósito poluído dessa sujeira moral, pois ao estar presente nos lares do povo brasileiro, derrama nele, gota a gota, por exemplo, a Ideologia do Gênero”, a qual contribuiu para a “destruição da família, da integridade moral das crianças e jovens”.
Esta ideologia, esclareceu, “é um falso feminismo de matriz marxista, que destrói a dignidade das mulheres, tirando-lhes toda a beleza do gênio feminino, já que enquanto mulheres, esposas, mães, educadoras dos filhos, profissionais atuantes e não adversárias dos homens, elas são as verdadeiras construtoras de um mundo mais humanizado”.
O segundo fato diz respeito à Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) protocolada pelo PSOL no Supremo Tribunal Federal (STF), solicitando a descriminalização do aborto até doze semanas de gestação.
“Segundo esse partido ‘missionário do mal’ em matéria de aborto, a criminalização desse ato ‘afeta desproporcionalmente mulheres negras e indígenas pobres, de baixa escolaridade e que vivem distantes de centros urbanos, onde os métodos para a realização do aborto são mais inseguros do que aqueles utilizados por mulheres com maior acesso à informação e poder econômico, resultando em uma grave afronta ao princípio da não discriminação”, assinalou.
Em seguida, informou que a relatora do caso será a ministra Rosa Weber, “mulher branca, rica, bem informada e bem escolarizada”, já deu sinais de ser “a favor da descriminalização do aborto, sendo, portanto, contrária à maioria do povo brasileiro, constituído por brancos, negros, pardos, ricos e pobres, indígenas e mamelucos, imigrantes e estrangeiros com cidadania adquirida há anos e, sobretudo, por mulheres e homens que sonham com um Brasil mais justo e mais protetor dos mais frágeis, como são as crianças em gestação no seio materno”.
Por fim, o terceiro caso citado é especificamente da cidade do Rio de Janeiro, onde a vereadora Marielle Franco entrou com um projeto de lei para instituir nos hospitais municipais o “Programa de Atenção Humanizada ao Aborto Legal e Juridicamente Autorizado no Âmbito do Município do Rio de Janeiro”.
Entretanto, trata-se de algo “contrário à realidade”, visto que “não há aborto legal, e esse programa proposto por essa vereadora é tão irreal e manipulador da inteligência do povo, pois não se deve falar de atenção humanizada para uma ação tão desumana”.
Diante de tudo isso, exortou, “é chegada a hora do povo brasileiro não só de ir às ruas, demonstrando civilidade e defesa do patrimônio público e privado, e protestando contra a corrupção, contra medidas políticas que prejudicarão as famílias e o emprego”.
“Chegou a hora de sair da frente da televisão ou até desligá-la, quando ela faz proselitismo da ideologia marxista-gramscista do gênero; chegou a hora de denunciar partidos, políticos, ministros e instituições que só se interessam pela cultura da morte e não pela construção de um futuro melhor para as crianças e doentes”.
Por isso, convocou “os sentinelas do amanhã” a “sair na hora certa da passividade, para que aconteça hoje e agora um ‘tsunami’ de e-mails para o STF, para a TV Globo e para a Câmara Municipal de Vereadores carioca, protestando diante de tantas arbitrariedades contra a vida humana nascente, contra a dignidade das crianças e jovens, contra a violação da Constituição Federal, fazendo novelistas, políticos e ministros descerem dos seus pedestais, onde se sentem donos da verdade e do bem e do mal, para pisarem na realidade do povo, e enxergarem, assim, as verdadeiras necessidades humanas”.
Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/bispo-convoca-catolicos-a-erguer-a-voz-contra-ideologia-de-genero-e-aborto-no-brasil-44808/

Alô abortistas: Papa convida a defender a vida “desde a concepção até o fim”

Em recente publicação na sua própria rede social Twitter, o Papa Francisco encorajou os fiéis a defender a vida humana “desde a concepção até o fim”.
O Santo Padre tem mais de 33 milhões de seguidores nas suas 9 contas no Twitter, em espanhol, inglês, português, italiano, francês, alemão, árabe, polonês e latim. Somente no idioma espanhol o Pontífice tem mais de 12,7 milhões de usuários. Francisco recordou em sua publicação: “Proteger o sagrado tesouro de cada vida humana, desde a concepção até o fim, é a melhor maneira para prevenir todas as formas de violência”.
Durante o seu pontificado, o Papa Francisco tem incentivado a defender a vida “em todas as fases” e classificado tanto o aborto como o infanticídio como “crimes abomináveis”.
Durante o Ano Jubilar da Misericórdia, que terminou em novembro de 2016, o Papa permitiu que todos os sacerdotes pudessem perdoar o pecado do aborto, algo geralmente reservado aos bispos.
O Santo Padre, em seguida, estendeu essa licença por tempo indeterminado.

Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/papa-francisco-incentiva-a-defender-a-vida-desde-a-concepcao-ate-o-fim-76998/

segunda-feira, 20 de março de 2017

Papa Francisco: não hesitem em recorrer aos exorcistas quando necessário

Foto: cena da série O Exorcista, da Fox.
O papa Francisco disse nesta sexta-feira (17/03) que, ao atender confissões, os padres “não devem hesitar” em remeter os casos para exorcistas, se os penitentes estiverem sofrendo “perturbações espirituais genuínas”. O pontífice se dirigia a centenas de padres que participam de um curso sobre o sacramento da confissão organizado pela Penitenciária Apostólica, o órgão do Vaticano que trata de assuntos relacionados ao tema. Francisco disse que o discernimento é importante para que os padres distingam entre distúrbios psíquicos e fenômenos sobrenaturais. Através de uma “saudável colaboração com as ciências humanas”, o padre que se der conta de estar diante de casos de perturbações espirituais deve remeter os penitentes para os exorcistas, “encarregados desse delicado e necessário ministério”. O papa apontou ainda que as paróquias devem tornar a confissão mais acessível aos fiéis. “Confessar é prioridade pastoral”, disse ele. “Por favor, que não haja aqueles cartazes: ‘Aqui se confessa apenas segunda e quarta, de hora tal a hora tal’. Confessa-se toda vez que te pedem”, sublinhou Francisco. Hoje mesmo o papa presidiu ainda uma liturgia penitencial, durante a qual ouviu a confissão de sete pessoas, o que levou 40 minutos. O próprio pontífice também se confessou durante a celebração.
Fonte: http://www.semprefamilia.com.br/papa-francisco-nao-hesitem-em-recorrer-aos-exorcistas-quando-necessario/

CNBB age para impedir liberação do aborto no Brasil

Reprodução/YouTube/CTV
A CNBB está agindo para impedir que o STF atropele o Congresso Nacional mais uma vez. Nesta semana ficamos sabendo que a ministra Rosa Weber, abertamente defensora da legalização do aborto será a relatora da ação movida pelo PSOL que pede a legalização total da prática até a 3ª semana de gestação. Segundo o site O Antagonista, O cardeal dom Sérgio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, esteve no STF nesta semana e terá um encontro com o presidente Michel Temer na segunda-feira. O PSC também informou que acionará o STF para participar como amicus curiae na ação do PSOL. É hora de todas as lideranças pró-vida usarem ao máximo as influências que possuem. A liberação do assassinato de bebês em gestação via judiciário, decidido por um minúsculo grupo de juízes, contra a vontade do Congresso e contra opinião pública, será pior monstruosidade institucional e moral já ocorrida no país.
Fonte: http://www.semprefamilia.com.br/blog-da-vida/cnbb-age-para-impedir-que-stf-libere-o-aborto/

terça-feira, 7 de março de 2017

Chega ao STF primeira ação que pode levar à ampla legalização do aborto

Resultado de imagem para aborto stf
Um dos temas mais polêmicos do país chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF). Foi protocolada na noite de segunda-feira a primeira ação que pede a legalização ampla do aborto, para qualquer gestação com até 12 semanas.
Atualmente, a interrupção da gravidez só é permitida no país em três casos: se a mulher corre risco de morrer por causa da gestação; se a fecundação ocorreu por estupro; se o feto é anencéfalo (sem cérebro) e, portanto, não conseguirá sobreviver após o parto.A ação, à qual a BBC Brasil teve acesso antecipadamente, foi movida pelo PSOL, com assessoria técnica do instituto de bioética Anis. Não é possível prever quanto tempo levará para ser julgada, talvez anos. Isso dependerá muito do ministro que for sorteado para relatar a ação e de seu interesse em agilizar ou não o caso. É função do Supremo, quando provocado por uma ação, analisar se leis vigentes no país estão em desacordo com a Constituição Federal. Nesse caso, o partido solicita que a Corte declare que os artigos do Código Penal (lei de 1940) que criminalizam o aborto desrespeitam preceitos fundamentais, como o direito das mulheres à vida, à dignidade, à cidadania, à não discriminação, à liberdade, à igualdade, à saúde e ao planejamento familiar, entre outros.As advogadas que assinam a ação destacam que a criminalização do aborto leva muitas mulheres a recorrer a práticas inseguras, provocando mortes. Argumentam também que o problema afeta de forma ainda mais intensa mulheres pobres, negras e das periferias, já que elas têm menos conhecimento e recursos para evitar a gravidez, assim como menos meios para pagar por métodos abortivos mais seguros, ainda que clandestinos. Movimentos contrários ao aborto, por sua vez, argumentam que o direito à vida também deve ser garantido ao feto e, por isso, a prática seria inconstitucional. Esses grupos hoje contam no Congresso com o apoio de uma ampla bancada de parlamentares, em geral católicos e evangélicos, que atuam para impedir a legalização do aborto ou mesmo aumentar sua restrição.
É desejo desses parlamentares aprovar uma emenda à Constituição prevendo expressamente que o direito à vida está garantido desde a concepção.
"Muito provavelmente, mudando a nossa Constituição, passa-se a ter uma nova interpretação dessas leis que já estão em vigor no nosso país (e permitem algumas hipóteses de aborto)", disse no ano passado o deputado Diego Garcia (PHS-PR), em um debate na Câmara.
Mesmo que isso seja aprovado, no entanto, caberá ao Supremo a palavra final sobre se o eventual direito à vida do embrião se sobrepõe aos direitos das mulheres, ressalta a antropóloga Debora Diniz, do instituto Anis.
Essa tensão é destacada pela presidente do STF, Carmén Lúcia, no livro O Direito à Vida Digna , publicado em 2004, pouco antes de sua entrada na Corte. Trechos da obra são citados pelo PSOL para fundamentar o pedido de legalização.
"Quando se põe em debate o aborto, o que se oferece, num primeiro lance de discussões, é se o embrião e o feto seriam pessoas, porque, a se responder afirmativamente, eles titularizariam o primeiro de todos como é o direito à vida digna, a qual, como antes lembrado, é intangível e inviolável. Mas não se há de ignorar que a vida é o direito que se exerce com o outro, no espaço das relações entre sujeitos, não se podendo anular, portando, a condição de pessoa-mulher que, em sua dignidade, é livre para exercer a escolha da maternidade ou não", escreveu a ministra no livro.

 

O que esperar do Supremo?

Na última década, o Supremo tomou decisões que podem indicar uma abertura da Corte para o debate do aborto. Não está claro, porém, se há maioria para aprovar uma legalização ampla da prática.

Na decisão mais recente, há três meses, a primeira turma do STF, formada por cinco dos onze ministros, decidiu colocar em liberdade duas pessoas que haviam sido presas em flagrante supostamente realizando aborto em uma clínica clandestina.

Os magistrados poderiam ter se limitado a revogar a prisão preventiva, sob argumento de que os acusados podem responder ao processo em liberdade. Foi o entendimento de Marco Aurélio e Luiz Fux.

Três ministros, no entanto, foram além. Acompanhando o surpreendente voto de Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e Rosa Weber decidiram que a prisão não deveria ser mantida também porque a criminalização do aborto até o primeiro trimestre de gestação é incompatível com direitos fundamentais das mulheres, entre eles os direitos sexuais e reprodutivos, à autonomia, à integridade física e psíquica, além de ferir o princípio da igualdade. O corte do primeiro trimestre, equivalente a doze semanas, foi proposto por Barroso porque é adotado na maioria dos países que permitem o aborto, como quase todos os países da União Europeia, Rússia, Suíça, Moçambique e Uruguai, entre outros.
"Durante esse período, o córtex cerebral - que permite que o feto desenvolva sentimentos e racionalidade - ainda não foi formado, nem há qualquer potencialidade de vida fora do útero materno", escreveu o ministro.
Barroso defendeu ainda em seu voto que o Estado e a sociedade devem buscar evitar o aborto por outros métodos que não a criminalização, como "oferta de educação sexual, distribuição de meios contraceptivos e amparo à mulher que deseje ter o filho e se encontre em circunstâncias adversas".
A decisão causou imediata reação no Congresso: "Revogar o Código Penal, como foi feito, trata-se de um grande atentado ao Estado de direito. O aborto é um crime abominável porque ceifa a vida de um inocente", disse na ocasião o deputado Evandro Gussi (PV/SP).

E os votos no plenário?

A ação do PSOL, caso seja levada a julgamento, será analisada em plenário, pelos onze ministros.

O caso citado acima sugere haver ao menos três votos simpáticos à tese defendida pelo PSOL. O fato de Marco Aurélio e Fux não terem acompanhado a decisão de Barroso não deixa claro qual seria o posicionamento deles sobre a ampla descriminalização do aborto, já que não entraram nesse mérito. Os ministros podem não ter seguido o colega por discordar da tese ou por não considerarem adequado abordar essa discussão ao julgar o habeas corpus.

Outras pistas sobre os possíveis posicionamentos dos ministros são os julgamentos que liberaram o aborto de anencéfalos (2012) e a pesquisa científica com células-tronco embrionárias (2008) - caso que provocou uma discussão sobre quais seriam os direitos do embrião e se sua vida estaria protegida pela Constituição.

Dos ministros que ainda estão no Supremo, votaram pela liberação do aborto de anencéfalos Marco Aurélio, Luiz Fux, Rosa Weber, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Celso de Mello. Ricardo Lewandowski disse que a decisão caberia ao Congresso e ficou contra.

Dias Toffoli, por sua vez, não participou do julgamento porque quando era advogado-geral da União já havia se manifestado na causa a favor do aborto de fetos sem cérebro.

Já no segundo caso, quando a maioria do Supremo entendeu que as pesquisas com células-tronco embrionárias não violam o direito à vida, foram favoráveis a essa decisão Cármen Lúcia, Marco Aurélio, Celso de Mello e Gilmar Mendes - considerando apenas os que permanecem no STF.

A decisão de Lewandowski novamente destoou: ele votou que as pesquisas poderiam ser feitas, mas somente se embriões ainda viáveis não fossem destruídos para a retirada das células-tronco.

Toffoli era na época advogado-geral da União e defendeu as pesquisas. Os votos favoráveis nesses dois julgamentos podem sinalizar uma abertura dos ministros à discussão da legalização ampla do aborto, mas não permitem tirar uma conclusão sobre quais serão seus posicionamentos.

Por outro lado, esses dois casos parecem indicar uma probabilidade alta de que Lewandowski vote contra a legalização do aborto em eventual julgamento da ação do PSOL. Também sinalizam que ele tende a ter menos interesse em dar agilidade ao processo, caso seja sorteado relator.

Questionado sobre o tema há duas semanas na sabatina do Senado, o futuro ministro do STF Alexandre de Moraes (sua posse será dia 22) se esquivou de responder se é a favor ou contra a legalização. Segundo reportagem do Conjur, especializado em notícias jurídicas, antes de ser indicado Moraes já havia se manifestado contra a legalização ampla do aborto, por considerar que o direito à vida começa no momento da fecundação.

 

Por que agora?

A discussão sobre a legalização do aborto não é nova, então por que justamente agora a ação chega ao STF? Segundo Luciana Boiteux, professora de Direito Penal da UFRJ e filiada ao PSOL, a iniciativa do partido reflete um fortalecimento recente do movimento das mulheres no país.

No final de 2015, por exemplo, uma série de protestos feministas nas principais cidades do país conseguiu barrar o andamento no Congresso de um projeto de lei que buscava aumentar as penas para aborto.

"Essa ação está sintonizada com o movimento das ruas, com todo o fortalecimento desse debate feminista que o Supremo agora vai ter que enfrentar", afirmou.

Na sua opinião, é preciso levar a questão à Corte porque o Congresso "não é representativo para as mulheres". Atualmente, 90% dos parlamentares são homens.

"No Supremo, a gente vê uma maior abertura para um debate que já foi feito inclusive por diversas outras cortes no mundo. É um espaço tão legítimo quanto (o Congresso)", defende Boiteux, citando julgamentos sobre aborto nos Estados Unidos, Alemanha e Portugal.

Também tramita no STF outra ação, movida em agosto pela Anis e a Associação Nacional de Defensores Públicos, que pede a liberação da interrupção da gravidez em caso de gestantes infectadas pelo vírus Zika.

O caso foi sorteado para Carmén Lúcia pouco antes de ela assumir a presidência do Supremo. A ministra deu rito de "urgência e prioridade" à tramitação e chegou a pautá-la para julgamento em dezembro.

No entanto, o caso deixou de ser analisado devido a outra questão mais urgente naquele dia - a decisão sobre se Renan Calheiros deveria ser afastado da presidência do Senado. Até agora o caso não voltou para a pauta.


Cinema se nega a projetar “A Bela e a Fera” por conteúdo homossexual

Os donos do ‘Henagar Drive-in Theatre’, um cinema em que as pessoas não precisam sair do carro em Alabama (Estados Unidos), anunciaram que não irão projetar “A Bela e a Fera” por conter cenas homossexuais.
Em um comunicado publicado em sua página no Facebook, o dono do cinema assinalou: “É com grade pesar que tenho que dizer aos nossos clientes que não projetaremos A Bela e a Fera em Henagar Drive In quando chegar”.
“Quando as companhias continuamente impõem seus pontos de vista sobre nós, precisamos tomar uma posição”.
A estreia internacional de “A Bela e a Fera” está programada para o dia 17 de março deste ano.
Após a publicação, a página de Henagar Drive-in Theatre desapareceu da rede social, embora se desconheça se foi uma sanção do Facebook ou uma decisão dos donos do cinema. Publicado originalmente na noite de 2 de março, até a manhã do dia seguinte, tinha sode compartilhado mais de 600 vezes e tinha mais de 500 comentários, entre críticas e mensagens de apoio.
No começo de março, o diretor de “A Bela e a Fera”, Bill Condon – abertamente homossexual –, assegurou à revista ‘Attitude’ que LeFou, o companheiro do vilão Gastão, protagonizará uma cena homossexual.
“LeFou é uma pessoa que em um dia quer ser Gastão e, em outro, quer beijar Gastão”, disse.
Em seu post no Facebook, o dono de Henagar Drive-in Theatre assinalou que “todos fazemos escolhas e estou fazendo a minha”.
“Para aqueles que não sabem, A Bela e a Fera está ‘estreando’ seu primeiro personagem homossexual. O produtor também diz que no final do filme ‘haverá uma surpresa para os casais homossexuais’”.
“Se não podemos levar nossa neta de 11 anos e nosso neto de 8 anos para ver um filme, não temos nada que fazer assistindo-o”, expressou.
Para o dono do cinema, “se não posso me sentar durante um filme com Deu ou Jesus sentado ao meu lado, então, não tenha nada que fazer exibindo-o”.
“Sei que haverá alguns que não estarão de acordo com esta decisão. Tudo bem”, assinalou.
Entretanto, indicou que “somos primeiro e antes de tudo cristãos. Não vamos ceder no que a Bíblia ensina”.
“Continuaremos exibindo filmes orientados à família, para que se sintam livres para vir ver um filme sem se preocupar com sexo, nudez, homossexualidade e linguagem baixa. Obrigado por seu apoio”, finalizou. 
Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/cinema-se-nega-a-projetar-a-bela-e-a-fera-por-conteudo-homossexual-70102/

Mais de um milhão e meio marcham contra a ideologia de gênero no Peru

Sob o lema #ConMisHijosNoTeMetas (Não se meta com os meus filhos), mais de um milhão e meio de peruanos se manifestaram nas 24 regiões do Peru contra a doutrinação da ideologia de gênero de estudantes menores de idade.
No final do evento central em Lima, capital do país, os organizadores confirmaram que nos eventos realizados durante o dia nas diferentes cidades do Peru, a participação superou um milhão e meio de manifestantes. Entre os presentes, estavam os congressistas Julio Rosas, Carlos Tubino, Nelly Cuadros, Juan Carlos Gonzales, Marco Miyashiro, Roberto Vieira, Federico Pariona e Edwin Donayre.
#ConMisHijosNoTeMetas é uma campanha que responde a tentativa do governo do Peru, através do Ministério da Educação, de promover em 2017 um Currículo Nacional para crianças a partir de 0 anos, com critérios da ideologia de gênero.
Em janeiro deste ano, a Conferência Episcopal peruana assinalou que o governo “deve suspender imediatamente no novo Currículo Nacional aquelas noções provenientes da ideologia de gênero”.
Em vários pontos de Lima, capital do país, a partir das 14h (hora local) de 4 de março, grupos multitudinários se reuniram e se dirigiram à Praça San Martin, no centro da cidade.
Também esteve presente na marcha em Lima a deputada colombiana Ángela Hernández, que liderou na Colômbia, em 2016, uma série de manifestações contra a doutrinação de crianças em ideologia de gênero.
Os protestos massivos causaram a renúncia da então ministra da Educação desse país, Gina Parody. Em declarações ao Grupo ACI em 4 de março, Hernández disse que a ideologia de gênero é “perversa” e advertiu que “esta pretende colonizar a mente das nossas crianças” e “prejudicar a identidade sexual que temos até hoje”.
A deputada colombiana pediu ao presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, que escute “a vontade democrática do povo, remova esta ideologia dos currículos escolares” e “respeite o direito dos pais de educar os seus filhos”.
Os manifestantes, com diversos cartazes e lemas que criticavam a ideologia de gênero, percorreram os principais bairros da capital peruana.

Em outras cidades importantes do país, como Arequipa, Trijillo, Iquitos e Cuzco, foram registradas numerosas manifestações.
Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/mais-de-um-milhao-e-meio-marcham-contra-a-ideologia-de-genero-no-peru-19754/

segunda-feira, 6 de março de 2017

Estudos confirmam: CRISTIANISMO continua sendo a religião mais perseguida do planeta

Em 2016, pelo menos 90.000 cristãos foram assassinados simplesmente por causa da sua fé

Estudos confirmam: cristianismo continua sendo a religião mais perseguida do planeta
Em 2016, aproximadamente 90.000 cristãos foram mortos em todo o planeta simplesmente por causa da sua fé, o que mantém o cristianismo como a religião mais perseguida do mundo. Este número, que equivale a 1 cristão assassinado a cada 6 minutos, ficou ligeiramente abaixo dos 105.000 que foram mortos em 2015 apenas por serem cristãos.
Quase um terço das mortes em 2016 foram perpetradas por fanáticos extremistas como os do autodenominado Estado Islâmico, mas também houve assassinatos decorrentes de perseguição estatal.
Massimo Introvigne, diretor do CESNUR (Centro Studi sulle Nuove Religioni, ou Centro de Estudos sobre as Novas Religiões, em italiano), declarou à Rádio Vaticano que aproximadamente 70% dos cristãos martirizados em 2016 moravam em áreas tribais da África: parte dessas mortes se deveu ao fato de os cristãos muitas vezes se negarem a pegar em armas durante os muitos conflitos locais.
O Center for the Study of Global Christianity (Centro de Estudos sobre a Cristandade no Mundo) também monitora e estuda os dados sobre o martírio cristão histórico e contemporâneo. A entidade estima que entre 2005 e 2015 houve 900.000 mártires cristãos em todo o planeta, média de 90.000 por ano. Segundo este centro, devem ser levados em conta argumentos históricos, sociológicos e teológicos na quantificação do martírio cristão ao longo do tempo. Sua definição de mártir cristão é esta: “Crentes em Cristo que perderam a vida prematuramente, em situações de testemunho, em decorrência direta de hostilidade humana“.
O número de cristãos martirizados em 2016, na realidade, é provavelmente superior a 90.000, já que os estudos não conseguiram incluir os dados da China e da Índia, justamente os dois países mais populosos do planeta e nos quais, por causa da perseguição, há grandes comunidades cristãs clandestinas. Nesse contexto, o número de cristãos martirizados é difícil de quantificar.

Fonte: http://pt.aleteia.org/2017/03/06/estudos-confirmam-cristianismo-continua-sendo-a-religiao-mais-perseguida-do-planeta/