quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Veja porque os católicos não adoram imagens

Imagem relacionada

Se temos entre nossos familiares ou amigos próximos algum protestante, é muito provável que alguma vez nos disseram que nós católicos estamos errados por adorarmos imagens. É normal que, com a melhor intenção do mundo, mas com muito desconhecimento das Escrituras, esta pessoa nos tenha mostrado aquela famosa passagem em que Deus “proíbe” a construção de imagens.
“Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra. Não te prostrarás diante delas e não lhes prestarás culto. Eu sou o Senhor, teu Deus, um Deus zeloso que vingo a iniqüidade dos pais nos filhos, nos netos e nos bisnetos daqueles que me odeiam”.
Voltaremos nesta passagem mais tarde, já que queremos focar em um fato curioso em que os protestantes deixaram passar: Deus mandou fazer imagens!

Temos aqui 4 ocasiões em que Deus mandou fazer imagens:

1) Éxodo 25, 16-22
Imagem relacionada
“Porás na arca o testemunho que eu te der. Farás também uma tampa de ouro puro, cujo comprimento será de dois côvados e meio, e a largura de um côvado e meio. Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro, fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Colocarás a tampa sobre a arca e porás dentro da arca o testemunho que eu te der. Ali virei ter contigo, e é de cima da tampa, do meio dos querubins que estão sobre a arca da aliança, que te darei todas as minhas ordens para os israelitas.”

2) Números 21, 8-9
“E o Senhor disse a Moisés: ‘Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.” Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida.

3) I Reis 6, 23-27
Resultado de imagem para querubins+templo+salomão“Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário.”

4) I Reis 7, 28-30
“Eis como eram feitas essas bases: eram formadas de painéis e enquadradas de molduras. Nos painéis enquadrados de molduras, havia leões, bois e querubins, assim como nas travessas igualmente. Por cima e por baixo dos leões e dos bois pendiam grinaldas em forma de festões. Cada base tinha quatro rodas de bronze, com seus eixos de bronze, e nos quatro cantos havia suportes fundidos que sustinham a bacia, os quais estavam por baixo das grinaldas.”

Então… e a famosa passagem de Êxodo 20, 4-5?
Dizem que aquilo que é dito fora de contexto vira contexto. Então, vamos analisar o contexto dessa passagem. Em primeiro lugar notemos que esta suposta proibição está no capítulo 20 de Êxodo; no entanto, 5 capítulos depois vemos Deus mandando construir querubins de ouro. Se deram conta? O mesmo Deus que a princípio supostamente proibiu construir imagens do que há “acima no céu”, agora manda fazer estátuas de querubins, criaturas do céu. Isso se deve porque quando Deus proíbe as imagens, o faz com um fim: Ele conhecia o povo ao qual se dirigia e sabia que poderiam construir uma imagem e dizer “esta imagem é o meu deus”. De fato, isso ocorreu com Israel; construíram um bezerro de ouro para adorá-lo e disseram ‘Este é o Deus de Israel, aquele que nos fez sair do Egito.” (êxodo 35,4).

A diferença é que as imagens que Deus mandou construir, assim como as imagens que os católicos usamos nas nossas Igrejas, servem como um sinal que nos apontam a Deus, nunca são consideradas deuses. Até a imagem mais linda de nosso Senhor sempre será apenas uma representação e nunca o próprio Deus.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Parece piada: Planalto publica no Twitter 'por engano' senhas de redes sociais do governo

Resultado de imagem para redes sociais
O Palácio do Planalto publicou nesta terça-feira (10) por engano, no Twitter, todas as senhas de redes sociais do Portal Brasil e do Palácio do Planalto. A Secretaria de Imprensa da Presidência informou que o erro aconteceu em uma postagem já apagada do Portal Brasil na rede social, gerida pela equipe de Contas Digitais, mas não deu mais detalhes de como aconteceu o processo. Anexado ao tuíte havia um link supostamente para uma matéria sobre o assunto abordado, mas, na verdade, ele redirecionava o internauta a um documento do Google Drive com todas as senhas das redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram, do Portal Brasil e do Palácio do Planalto. A Secretaria de Imprensa da Presidência informou que as senhas já foram trocadas e o caso está sendo apurado internamente. Segundo o Planalto, não há a possibilidade de as contas terem sido hackeadas por terceiros. Horas depois,  o Planalto informou que o funcionário responsável pelo vazamento das senhas era terceirizado e já foi afastado.
Fonte: http://g1.globo.com/politica/noticia/planalto-publica-no-twitter-por-engano-senhas-de-redes-sociais-do-governo.ghtml

Desmascaradas as mentiras da esquerdista Meryl Streep contra Donald Trump

Meryl Streep usou uma mentira da imprensa anti-Donald Trump, já refutada em vídeo deste blog durante a campanha eleitoral americana, para demonizar o presidente eleito dos Estados Unidos na noite de domingo (8).
Ao receber o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra durante a cerimônia de entrega do Globo de Ouro, a atriz atacou Trump, como se ele tivesse ridicularizado a deficiência do repórter Serge Kovaleski, do New York Times:
“Foi nesse momento que a pessoa que pediu para ocupar o lugar mais respeitado em nosso país imitou um repórter incapacitado. Alguém que ele superou em privilégio, poder e capacidade de reagir. Isso partiu meu coração quando eu vi e eu ainda não consigo tirar isso da minha cabeça porque não estava em um filme, era a vida real”.
Não era a vida real coisa alguma.
Era o “filme” de campanha dos torcedores de Hillary Clinton contra o candidato republicano, agora recauchutado pela afetação de bom-mocismo de uma premiada profissional da interpretação.
Meryl, porém, ainda prosseguiu em seu teatro:
“Quando algo assim é feito por alguém poderoso, impacta a vida de todos, porque meio que dá a permissão para que outros façam a mesma coisa. Desrespeito convida desrespeito. Violência incita violência. Quando os poderosos usam sua posição para intimidar outros, todos nós perdemos.”
Como de costume entre militantes de esquerda, Meryl acusa Trump daquilo que ela faz no instante mesmo em que o acusa: usa sua posição de poder em evento exibido para milhões de espectadores para disseminar uma mentira infamante contra o presidente eleito, levando, por exemplo, a imprensa de outros países, especialmente a brasileira, a fazer a mesma coisa, como também de costume.
O provincianismo tupiniquim e o deslumbramento com atores famosos só agravam o quadro.

O efeito psíquico da demonização

Escrevi aqui em 10 de outubro de 2016:
“(…) É mentira, por exemplo, que Trump ridicularizou a deficiência de um repórter. Eu refutei essa mentira em vídeo. Acontece que mentiras infamantes, quando as pessoas nelas acreditam, têm o efeito de torná-las predispostas a ver o sujeito com maus olhos e a interpretar qualquer fala ou ato seus da pior maneira.
Isto é da psique humana e, quando ocorre na vida íntima, às vezes só boa terapia consegue fazer com que a pessoa seja capaz de rever os fatos novamente sem tal predisposição negativa. Muitas, mesmo informadas de que acreditaram em engodo, são incapazes de rever o ódio que o engodo alimentou.
A demonização política é calculada justamente para criar essa repulsa emocional automática que prescinda de maiores razões objetivas e sobreviva até mesmo às provas cabais de qualquer refutação, de preferência tornando dispensável a própria necessidade de examinar as qualidades da concorrência. (…)”

Jornalista com deficiência física não pode ter seu trabalho criticado?

Poucas coisas são mais nocivas à imagem de alguém do que ser visto como um zombador da deficiência física alheia, de modo que a militância de esquerda na imprensa, na internet e em Hollywood investiu o quanto pôde na campanha, e segue investindo apesar do vexame, para que Trump seja visto como tal.
Com frequência, esses militantes fazem jogos de palavras consciente ou inconscientemente para travestir de jornalismo a intenção de demonizá-lo, trocando a menção mais infamante e mentirosa sobre ridicularizar a deficiência em si pela mais genérica de imitar, zombar ou fazer piada com um deficiente.
No caso da primeira narrativa, o imenso contraste visual entre o agito braçal de Trump e o braço paralisado pela artrogipose de Kovaleski torna patente a mentira, bem como as provas em vídeo de que Trump repete há pelo menos uma década os mesmos movimentos ao “imitar” qualquer pessoa sem deficiência (inclusive ele próprio) em momento de perturbação, como fez (pasmem) naquele mesmo discurso em relação a um general.
No caso da segunda narrativa, que apenas dissimula a primeira, o fato de que Kovaleski é um deficiente simplesmente nada tem a ver com a história para qualquer cidadão não intoxicado de esquerdismo politicamente correto e/ou da necessidade de ganhar cliques com manchetes sensacionalistas na internet.
Ainda que Trump tivesse em mente a deficiência que se manifesta no braço direito de Kovaleski, este é um repórter do New York Times que responde publicamente pelas suas matérias como qualquer outro, e sua atuação – não sua deficiência – é passível de crítica por quaisquer leitores ou cidadãos nelas implicados, especialmente quando o repórter vem a público tentar desmentir um destes, recuando no que escreveu anos antes, como argumentou Trump.
A artrogipose de Kovaleski, que nada tem a ver com qualquer retardo mental, não torna seu trabalho, nem suas intervenções públicas decorrentes dele, imune a críticas; caso contrário, todos os jornalistas portadores de qualquer tipo de deficiência física não impeditiva para o seu ofício (como de braço, mão, pé, dedo…) teriam um passe-livre providencial para a mentira até o limite da inimputabilidade.
Imunizá-los é justamente tratá-los como mental e profissionalmente incapazes em função da sua deficiência física localizada ou doença congênita que assim se manifesta, o que constitui, aí sim, o verdadeiro preconceito contra deficientes – este que militantes de esquerda, no discurso, fingem querer combater, enquanto, na prática, exploram uma vitimização descabida para atacar adversários políticos e avançar a própria agenda ideológico-partidária.

Trump rebate Meryl

Trump usou o Twitter, seu contato direto com a população sem o filtro da imprensa esquerdista, para rebater a mentira da atriz premiada:
“Meryl Streep, uma das atrizes mais sobrevalorizadas em Hollywood, não me conhece, mas me atacou ontem à noite no Globo de Ouro. Ela é uma lacaia de Hillary que perdeu de muito. Pela centésima vez, eu nunca ‘zombei’ de um repórter incapacitado (nunca faria isso), mas simplesmente o mostrei ‘nervoso’ quando ele mudou totalmente uma história de 16 anos atrás que ele tinha escrito para me fazer ficar mal. Simplesmente mais mídia muito desonesta!”
Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/as-provas-das-mentiras-de-meryl-streep-contra-donald-trump/

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Torcedor do Fluminense tira sarro e ofende colorado no metrô, tem dados expostos e é ameaçado

Um torcedor do Fluminense se exaltou ao tirar sarro de um colorado no trem da SuperVia do Rio de Janeiro, no último domingo, logo após o empate em 1 a 1 que culminou no rebaixamento do Internacional para a Série B do Brasileirão. Bruno Vargas da Costa utilizava o coletivo para voltar para casa quando encontrou três fãs do Inter, dois trajando a camisa e outro, sem. O homem foi até um dos torcedores, começou a gravar um vídeo e a brincar com a situação do rival.
"Rebaixamento do Inter, né? Primeira vez na história, né? Parabéns! O que você acha? Vocês ganharam do Atlético-MG, abriram três pontos do Palmeiras, né? Que merda, hein? Vocês foram rebaixados. Situação que vocês tinham de tudo para ser campeão", começou o tricolor, aparentemente de forma pacífica, enquanto o senhor aceitava a zoação.
Mas, depois, o sarro começou a ficar mais pesado e virou agressão verbal.
"Foram rebaixados? Cara de otário!", bradou Bruno, apontando para o colorado. "Olha para esse aqui", diz, apontando para o outro torcedor do Inter, sem camisa. Depois, iniciam-se os gritos de "ão, ão, ão, segunda divisão". "Que merda, hein? Vai tomar no cu! Seu otário, olha para a câmera aqui! Puta que pariu, seu filho da puta, rebaixado", continuou o torcedor do Flu, agora gritando próximo ao rosto do senhor colorado e com o dedo em riste. Um amigo de Bruno Vargas, também fã tricolor, entra em cena e ameaça jogar o óculos do homem no chão.
Apesar do sarro e dos xingamentos, Bruno ainda faz a ressalva para um dos colegas. "Sem agressão, sem agressão". E termina voltando a gritar "ão, ão ão, segunda divisão". O vídeo acabou muito difundido na internet e iniciou a ira de diversos torcedores de outros times e até do próprio Fluminense. Pior que isso, os dados de Bruno Vargas da Costa acabram sendo expostos, como número de telefone, tanto celular como fixo, endereço, conta das redes sociais e até mesmo nome dos pais.
Diversos prints retirados da internet mostram pessoas mandando mensagens de ódio e repúdio ao tricolor via Whatsapp. Ele recebeu ameaças de morte e de agressão. "E ai, covarde FDP? Desce aqui pro RS pra mostrar essa pose de machão. Série C. Respeita as pessoas de idade, mané. Você deve ser a vergonha da família. A torcida gigante te espera", escreveu um.
Nesta segunda-feira, a conta do Facebook de Bruno foi excluída ou bloqueada para consultas. Ainda no domingo, porém, após verificar toda a repercussão do vídeo, ele postou uma mensagem de retratação.
"Primeiramente, gostaria de esclarecer que não houve nenhum tipo de agressão física da minha parte a torcedores do Internacional e sim gozação normal de futebol. Meu time já foi roubado em decisão de Copa do Brasil, já foi rebaixado, já foi humilhado, já caiu para a Série C e aceito numa boa as gozações de torcedores rivais! Futebol é assim. Um dia você sacaneia e outro você é sacaneado! Mesmo assim, por causa da repercussão negativa, venho através desse post me retratar com os torcedores colorados e também das outras equipes! Futebol envolve paixão e reconheço que exagerei nas minhas palavras, e por isso, peço desculpas a todos!", admitiu. De acordo com o jornalista gaúcho Fabiano Baldasso, o Internacional já comunicou o Ministério Público e fará uma denúncia na Promotoria do Torcedor contra Bruno.
Nesta segunda-feira, o Fluminense enviou, por meio de seu site oficial, uma nota de repúdio aos atos de seus torcedores, mas não anunciou nenhuma medida a ser tomada contra eles. Veja abaixo!
O Fluminense Football Club vem a público manifestar seu repúdio à atitude de três torcedores do clube contra integrante da torcida do Internacional, em vídeo gravado no retorno do jogo deste domingo, no metrô.
O Tricolor pede desculpas aos colorados e ressalta que este comportamento condenável não representa o da nossa torcida. O respeito ao torcedor adversário precisa ser uma prática comum e recorrente. O futebol deve servir como instrumento de propagação da união, jamais do ódio.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

AINDA HÁ ESPERANÇA PARA A HUMANIDADE!



APERTO NO CORAÇÃO! CHORO CONTIDO!
Sou morador de Joinville/SC e rival da Chapecoense, mas um torcedor assumido do verdão do oeste nesta Sulamericana.
Que carinho arrebatador tem este time que sensibilizou todo o mundo? 
Que carisma é este que a Chapecoense conseguiu ao ponto de fazer todos os brasileiros terem simpatia pelo time?
Não era preciso o acidente para que o Brasil inteiro torcesse pela Chape.
Estamos todos de luto pelo acontecimento e deixamos aqui nossos sentimentos de pesar ao clube, parentes, amigos e a toda a torcida do verdão do oeste!
Força! "Vocês foram atrás de um sonho e saíram como lendas!"
São esses momentos na história da humanidade que percebemos que ainda há esperança para nós. Num tempo onde todos buscam apenas o dinheiro e o poder, uma tragédia dessa magnitude é a chance que as pessoas de bom coração tem de se manifestarem e contaminarem quantos conseguirem. 

Parabéns aos clubes daqui e de fora pelo desejo de ajudar a Chapecoense e parabéns ao Atlético Nacional pela atitude de abrir mão do título.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Obrigado PT: classes sociais ficaram mais pobres em 2015

Pobreza Foto GeorgeGianni
Com as crises econômica e social implantadas pelo governo da ex-presidente Dilma Rousseff, todas as classes sociais do país ficaram mais pobres em 2015. Relatório divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (25) desmistifica a propaganda enganosa do PT de que tirou a população brasileira da extrema pobreza. De acordo com matéria do jornal Folha de S.Paulo, o rendimento mensal médio recuou 5,4%, de R$ 1.845 para R$ 1.746, já descontada a inflação. É a primeira queda na renda em 11 anos e o cálculo leva em consideração os valores recebidos tanto por trabalhadores e empregadores, quanto por aposentados e pessoas que vivem de rendas financeiras e de aluguéis. Segundo o jornal, a deterioração do mercado de trabalho levou à maior queda de renda entre a população mais pobre. Levantamento do IBGE mostra que o rendimento médio mensal dessa camada da população foi de R$ 202 em 2015 – bem abaixo do salário mínimo nacional que era de R$ 788. Também houve queda de 1% dos brasileiros que ganham o salário mínimo.

PM apreende veículo com R$ 9 milhões em débitos

Resultado de imagem para SP: Veículo com R$ 9 mi em débitos é apreendido
A Polícia Militar e o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) apreenderam na sexta-feira mais um veículo com mais de R$ 9 milhões em débitos, entre multas e impostos. O carro, do modelo Fiat Uno Mille, foi apanhado durante fiscalização por volta das 16h30 na Avenida Senador Teotônio Vilela, na zona sul da capital paulista. 
Este foi o quarto veículo com pendências milionárias apreendido em menos de um mês no Estado. De acordo com o Detran, o carro está registrado na capital e pertence a uma empresa. Ao todo, ele tem R$ 9.038.872,87 em pendências, sendo R$ 9.037.147,79 em multas de competência das prefeituras. Foram 1.614 infrações de trânsito municipais, a maioria delas por excesso de velocidade e avanço de semáforo.
O Detran explicou que boa parte dos débitos ocorreu porque a pessoa jurídica proprietária do veículo não indicou o condutor que cometeu as infrações.
"Nesse caso, a legislação federal de trânsito prevê que uma multa com o valor multiplicado pelo número de vezes que aquela mesma infração se repetiu nos últimos 12 meses", disse o órgão, em nota. "Ou seja, se o veículo foi multado por avançar o sinal vermelho dez vezes no último ano, será aplicada uma multa por não indicação de condutor no valor de R$ 2.934,70 - o valor original de R$ 293,47 multiplicado por dez."
Com a apreensão, o veículo deve ir a leilão. O valor arrecadado será descontado do total de débitos, ficando o restante da dívida em nome do proprietário.

Fonte: http://noticias.band.uol.com.br/cidades/noticia/100000833280/sp-veiculo-com-r-9-milhoes-em-debitos-e-apreendido.html

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

O QUE É O ADVENTO E COMO PODEMOS VIVÊ-LO?

O Advento é o tempo de preparação para celebrar o Natal e começa quatro domingos antes desta festa. Além disso, marca o início do novo Ano Litúrgico católico e em 2016 começará no domingo, 27 de novembro.
Advento vem do latim “ad-venio”, que quer dizer “vir, chegar”. Começa com o domingo mais próximo da festa de Santo André (30 de novembro) e dura quatro semanas.
O Advento está dividido em duas partes: as primeiras duas semanas servem para meditar sobre a vinda do Senhor quando ocorrer o fim do mundo; enquanto as duas seguintes servem para refletir concretamente sobre o nascimento de Jesus e sua irrupção na história do homem no Natal.
Nos templos e casas são colocadas as coras do Advento e se acende uma vela a cada domingo. Do mesmo modo, os paramentos do sacerdote e as toalhas do altar são roxos, como símbolo de preparação e penitência. A exceção é o terceiro domingo, o Domingo Gaudete (da alegria), no qual pode se usar a cor rósea.
A fim de fazer sensível esta dupla preparação de espera, durante o Advento, a Liturgia suprime alguns elementos festivos. Na Missa, não é proclamado o hino do Glória.
O objetivo desses simbolismos é expressar de maneira tangível que, enquanto dura a peregrinação do homem, falta-lhe algo para seu gozo completo. Quando o Senhor se fizer presente no meio do seu povo, a Igreja terá chegado à sua festa completa, representada pela Solenidade do Natal.
Muitos católicos sabem do Advento, mas talvez as preocupações no trabalho, as provas na escola, os ensaios com o coral ou teatro de Natal, a arrumação do presépio e a compra dos presentes fazem com que se esqueçam do verdadeiro sentido deste tempo. Por isso, é preciso recordar que a principal preparação neste período deve ser interior, na espera da vinda de Jesus.

No tempo do Advento, faz-se um apelo aos cristãos, a fim de que vivam de maneira mais profunda algumas práticas específicas, como: a vigilância na fé, na oração, na busca de reconhecer o Cristo que vem nos acontecimentos e nos irmãos; a conversão, procurando consertar os próprios caminhos e andar nos caminhos do Senhor, para seguir Jesus em direção Reino do Pai; o testemunho da alegria que Jesus traz, através de uma caridade paciente e carinhosa para com os outros; a pobreza interior, de um coração disponível para Deus, como Maria, José, João Batista, Zacarias, Isabel; a alegria, na feliz expectativa do Cristo que vem e na invencível certeza de que Ele não falhará.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Milagre do Sol inspira exposição no Santuário de Fátima

O Santuário de Fátima vai inaugurar no próximo dia 26 de novembro a exposição temporária evocativa da aparição de Nossa Senhora em outubro de 1917. Sob o título “As cores do Sol: a luz de Fátima no mundo contemporâneo”- Exposição temporária evocativa da aparição de outubro de 1917 – no Ano Jubilar do Centenário das Aparições de Fátima, estará patente ao público no espaço chamado Convivium de Santo Agostinho, piso inferior da Basílica da Santíssima Trindade, de 26 de novembro de 2016 a 31 de outubro de 2018, todos os dias das 9h00 às 19h00. Tomando como matéria histórica o dia 13 de outubro de 1917 e os relatos diretos e indiretos sobre o Milagre do Sol, a exposição pretende recriar, através de vários mecanismos sensoriais, cenários relacionados com a paisagem do dia da última aparição da Virgem Maria em Fátima. A partir desta memória, o visitante terá consciência de que o Milagre do Sol não foi o momento de clausura da história das aparições, mas o dia inicial de uma história em que o peregrino passa a ser verdadeiro protagonista.

Peças cedidas

A exposição, que estará aberta no ano do centenário é a mais ambiciosa que o Santuário de Fátima já promoveu e conta com peças cedidas, em regime de empréstimo, por colecionadores particulares e por instituições eclesiais (paróquias e museus diocesanos) e do mundo civil, entre as quais o Museu da Fundação Calouste Gulbenkian e o Núcleo de Documentação e Arquivo da Direção de Serviços de Documentação, Comunicação e Relações Públicas do Ministério da Economia. Através da linguagem da museologia, obras de arte e outros testemunhos materiais de diferentes épocas históricas dialogam em ordem a um discurso que levará a interpretar o papel de Fátima no mundo contemporâneo. A exposição está organizada com o um itinerário espiritual dos peregrinos cristãos em sete núcleos:
O eclipse do Sol: Deus jaz apartado da humanidade
A Lua preside à noite: os discursos e as figuras dos céus de Fátima
O brilho da Lua manifesta a luz do Sol: em Fátima, Maria apresenta Cristo
A forma da Lua: a sintética linguagem do coração
A luz configura o lugar: o Santuário como perímetro para todas as periferias
Uma constelação de luzeiros: a experiência de Fátima como ardente clareira
O astro que não tem ocaso: o ser humano, lugar íntimo (sacrário) de Deus
Com produção do Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, comissariado e museologia a cargo de Marco Daniel Duarte, arquitetura de Joana Delgado e design de Inês do Carmo, a exposição tem entrada livre.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/mundo/milagre-do-sol-inspira-exposicao-no-santuario-de-fatima/

Papa orienta fiéis a pensar na morte

O Papa Francisco celebrou a missa desta terça-feira, 22, na capela da Casa Santa Marta e interpretou a reflexão com a qual a Igreja conduz a última semana do Ano Litúrgico: um chamado do Senhor para pensar no fim da vida. 
Francisco disse que é preciso evitar que se viva alienado como se jamais fôssemos morrer.

Que rastro deixaremos?

“Não gosta de pensar nessas coisas”, observou, “mas ali está a verdade”. Ele destacou que quando um de nós tiver ido embora, passarão anos e quase ninguém se lembrará. Francisco contou que tem uma “agenda” em que escreve quando uma pessoa morre e observa como o tempo passou. Para ele, isso nos obriga a pensar no que deixaremos, qual é o “rastro” da nossa vida.  E depois no final, como se lê no trecho de hoje do Apocalipse de João, haverá o juízo para cada um de nós. “E nos fará bem pensar: ‘Mas como será o dia em que eu estarei diante de Jesus?’ Quando Ele me perguntará sobre os talentos que me deu, que uso fiz deles; quando ele me perguntará como estava o meu coração quando a semente caiu, como foi o caminho, os espinhos: essas Parábolas do Reino de Deus. Como recebi a Palavra? Com coração aberto? Eu a fiz germinar para o bem de todos ou a escondi?”

Todos seremos julgados

Cada um de nós, portanto, estará diante de Jesus no dia do juízo, então, advertiu o Papa retomando as palavras do Evangelho de Lucas, “não os deixe enganar”. Ele explicou que a enganação de que fala é alienação, o estranhamento, a enganação das coisas que são superficiais, que não têm transcendência, de viver como se jamais fôssemos morrer. “Quando virá o Senhor, como me encontrará? Esperando ou em meio a tantas alienações da vida?” “Eu me lembro quando era criança e fazia catecismo, nos ensinavam quatro coisas: morte, juízo, inferno ou glória. Depois do juízo havia esta possibilidade. ‘Mas Pai, isto é para nos assustar…’ Não, é a verdade! Porque se não cuidares do coração para que o Senhor esteja contigo e vives afastado sempre do Senhor, talvez haja o perigo, o risco de continuar afastado da eternidade do Senhor. É horrível isso!”. Não teremos medo da morte se formos fiéis ao Senhor no momento de prestar contas, disse o Papa. Para concluir, Francisco se inspirou na leitura do Apocalipse de João que diz “Seja fiel até a morte e te darei a coroa da vida”. “A fidelidade ao Senhor não desilude. Se cada um de nós for fiel ao Senhor, quando a morte chegar, diremos como Francisco: ‘vinde, irmã morte’… Ela não nos assustará. E quando será o dia do juízo, diremos ao Senhor: ‘Senhor, tenho tantos pecados, mas tentei ser fiel’. E o Senhor é bom. Este é o conselho que lhes dou: ‘Sejam fieis até a morte e lhes darei a coroa da vida’. Com esta fidelidade não teremos medo no fim, não teremos medo no dia do juízo”.

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/especiais/pontificado/francisco/papa-orienta-fieis-pensar-na-morte/

Chip e 666 – Tirando o nosso foco da verdadeira Besta

Muitos cristãos, inclusive católicos, estão apavorados com a possibilidade de que, em breve, os governos de todo o mundo obriguem os cidadãos a usar microchips sob a pele. Protestantes neopentecostais, sempre “ungidos” com aquele pudê de correta interpretação da Bíblia (aham…) estão garantindo que os chips implantados sob a pele são a concretização dessa profecia do Apocalipse:
“Conseguiu que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, tivessem um sinal na mão direita e na fronte, e que ninguém pudesse comprar ou vender, se não fosse marcado com o nome da Fera, ou o número do seu nome.
Eis aqui a sabedoria! Quem tiver inteligência, calcule o número da Fera, porque é número de um homem, e esse número é seiscentos e sessenta e seis”. (Apo 13,16-18)

É possível que, no futuro, todos os cidadãos tenham que usar microchips sob a pele? Sim, é possível. Será algo bom? Será algo ruim? Não sabemos. Por enquanto, como disse Dom Estêvão Bettencourt, do ponto de vista religioso só podemos dizer que o uso dessa tecnologia é algo neutro (Fonte: Revista P&R, Nº 486 – Ano 2002 – p. 496).
Os profetas histéricos anti-chip argumentam que essa tecnologia seria usada por um governo mundial para controlar a vida das pessoas. Isso é bem provável, mas… Meninos, vocês estavam onde quando estourou o escândalo WikiLeaks? Em Marte? Os governos e empresas já têm amplo acesso a cada passo de seus cidadãos e consumidores, pois quase tudo o que fazemos é registrado em nossos computadores pessoais (PCs, smatphones, tablets etc.) e ligações telefônicas. Isso sem falar nas câmeras espalhadas em quase todos os ambientes que frequentamos.
O chip sob a pele, se for implantado em uma escala global, vai somente intensificar uma realidade já bastante ampla: temos muito pouca privacidade e nossos passos são quase todos monitorados e registrados por governos e empresas. Isso é bizarro e preocupante? Sim. Poderá trazer muitos males? Talvez, o tempo dirá. E a Igreja certamente nos alertará, caso necessário.
Mas que fique claro: ninguém será condenado por aderir a um sistema de identificação eletrônico. Podemos ser condenados, isso sim, por aderir a valores e ideologias anticristãs. Isso sim é a verdadeira Marca da Besta, a marca da mundanidade.

A MARCA DA BESTA NOS TEMPOS DE JOÃO
Os estudiosos do Apocalipse concordam que o número 666 se refere a NERO CÉSAR, imperador que iniciou uma terrível perseguição contra os cristãos. Sua maldade era tamanha que os cristãos começaram a chama-lo de “besta”. Essa explicação é bastante plausível, pois São João deixa claro que o número da besta é “número de um homem”.

Escrevendo o nome de Nero em letras hebraicas, temos:
N       R      W      N             Q      S      R
50    200     6      50           100   60    200  = 666

Nos tempos do Apóstolo João, os cristãos iam ao mercado, e era constrangedor – e até mesmo perigoso – não ofertar algumas pedras de incenso a alguma das muitas esculturas de deuses pagãos. Se um comerciante cristão tinha uma venda, as pessoas estranhavam o fato de não haver nenhuma imagem de ídolo ali. Tais esculturas estavam presentes em toda a parte, e os cristãos despertavam desconfiança e hostilidades por não prestarem culto a elas.
Portanto, como diz o Apocalipse, as atividades de compra e venda dos cristãos ficavam comprometidas por sua fidelidade ao Evangelho.
Com a desculpa de proteger suas famílias, muitos cristãos começaram a fingir que adoravam os falsos deuses, para evitar problemas. Alguns eram funcionários públicos, e não queriam perder seus cargos e seu prestígio. Muito provavelmente, pensavam consigo mesmos: “Não adoro esses falsos deuses, mas tenho que ceder em algo, para poder sobreviver. Mas em meu coração continuo adorando só a Jesus”. Porém, seu testemunho de idolatria e traição estava dado diante do mundo.
Se o 666 é o número de um homem – representante de um grande poder (no caso, o Império Romano) – receber a marca da besta significa se curvar à idolatria imposta por esse homem, traindo, assim, os valores de sua fé.
Receber a marca da besta, portanto, é adotar os pensamentos da Besta, a sua ideologia (marca na fronte) e praticar as obras que a besta mandar (marca na mão). Não tem nada a ver com fazer tatuagem na mão ou na testa, ou implantar ali um chip.

A MARCA DA BESTA NOS DIAS DE HOJE
O Apocalipse, bem diferente do que muitos pensam, não é um livro que fala unicamente sobre o Fim dos Tempos: ele comunica uma mensagem que é sempre atual, pois traz à tona a realidade de perseguição e sofrimento vivida pelos cristãos em todas as épocas.
Tal perseguição se intensifica e se mostra mais feroz de tempos em tempos. Todo poder e tirania que se levanta para tentar aniquilar o povo cristão é uma nova Besta do Apocalipse, assim como Nero o foi.
Em países dominados por ditaduras comunistas e em muitos países de maioria muçulmana vemos correr o sangue dos mártires, sem cessar. No Ocidente a perseguição também é duríssima, mas não fere nem mata o corpo, é pior: ataca e mata a alma. Pela imposição ideológica que se infiltra na nossa cultura, na mídia e nas instituições educacionais, os cristãos sofrem grande pressão para negar Jesus Cristo, pela aceitação dos valores que Jesus e Sua Igreja condenam.

Também a ONU tem feito o seu papel de Anticristo: promove a sexualização infantil, o aborto, a anticoncepção, a aceitação social do casamento gay e a ideologia de gênero. Uma ex-funcionária da ONU, Amparo Medina, já veio a público denunciar que seu trabalho era minar a fé católica e implantar a cultura de anticoncepção e o aborto em todos os países. Ora, quem concorda ou colabora com essa agenda anticristã nada mais faz do que receber em si a Marca da Besta.

Assim age, nos dias de hoje, uma multidão de cristãos: frequentam a Igreja, praticam suas devoções, mas no mundo agem como os pagãos. É o tipo de gente que tem medo de perder o emprego, de ser excluído pelos amigos ou sofrer algum prejuízo por causa de sua fé. E abraçam as ideias do mundo, o espírito do mundo, achando que pode se salvar caminhando em cima do muro. Iludidos! Adoradores da Besta!
A oposição à ideia da implantação universal de microchips sob a pele é bastante válida e razoável. O que não dá é pra cair em delírio protestante e dizer que o chip é a marca da besta.


Fiquem atentos, pois esse alarmismo todo só serve para nos distrair e nos desviar do que deve ser o nosso foco: a nossa conversão diária, a nossa luta contra os nossos pecados, dia após dia. As famílias estão se desfazendo, a castidade é rara, a heresia invade nossos templos, o relativismo impera, a fé cristã esmorece na Europa, o martírio ceifa os cristãos do Oriente… E o povo ainda acha que a ameaça à nossa salvação é um chip?

Fonte: http://ocatequista.com.br/archives/15407

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Papa Francisco permite que padres continuem absolvendo do pecado do aborto por tempo indeterminado

Imagem relacionada
O Papa Francisco concede a todos os sacerdotes a faculdade de absolver o pecado do aborto por tempo indefinido, segundo anunciou na Carta Apostólica MISERICORDIA ET MISERA, divulgada nesta segunda-feira, 21, no Vaticano.
De acordo com o direito canônico, até então apenas bispos e alguns sacerdotes autorizados por eles tinham a faculdade de perdoar este pecado devido à sua gravidade, já que implica acabar com a vida do ser humano mais inocente e indefeso: o nascituro.
O Santo Padre já havia concedido esta permissão aos sacerdotes durante todo o Ano Jubilar da Misericórdia, que terminou ontem, mas resolveu estendê-la por tempo indeterminado.
A concessão do Pontífice se encontra no parágrafo 12 da carta apostólica: “Aquilo que eu concedera de forma limitada ao período jubilar fica agora alargado no tempo, não obstante qualquer disposição em contrário”.
No documento, Francisco reafirma a gravidade deste pecado. “Quero reiterar com todas as minhas forças que o aborto é um grave pecado, porque põe fim a uma vida inocente”, afirma.
Contudo, o Santo Padre enfatiza que a misericórdia de Deus pode alcançar todos que, arrependidos, desejam se reconciliar com Ele.
“Mas, com igual força, posso e devo afirmar que não existe algum pecado que a misericórdia de Deus não possa alcançar e destruir, quando encontra um coração arrependido que pede para se reconciliar com o Pai. Portanto, cada sacerdote faça-se guia, apoio e conforto no acompanhamento dos penitentes neste caminho de especial reconciliação”.
Na Carta Apostólica “Misericordia et misera”, Francisco quer recordar que a Igreja não pode esquecer esta atitude do cristão que se tornou mais evidente do que nunca durante o Ano Santo.
“A misericórdia não se pode reduzir a um parêntese na vida da Igreja, mas constitui a sua própria existência, que torna visível e palpável a verdade profunda do Evangelho. Tudo se revela na misericórdia; tudo se compendia no amor misericordioso do Pai”, afirma no começo do documento

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

"Nunca compartilhei a ideologia marxista porque ela é falsa", diz Papa Francisco

O Papa Francisco foi acusado recentemente, sobre tudo por alguns meios e indíviduos nos Estados Unidos, de ser “marxista”, logo após publicar sua exortação apostólica Evangelii Gaudium em 2013. Em sua última entrevista à imprensa o Santo Padre precisa que nunca compartilhou essa ideologia porque é falsa.
Em uma entrevista publicada hoje pelos jornais La Nación (Argentina) e Corrriere della Sera (Itália), o Santo Padre afirma que não o incomodou “para nada” que o tenham qualificado de marxista logo depois da publicação de sua exortação, na qual apresenta uma espécie de “plano geral” de Nova Evangelização.
“Nunca compartilhei a ideologia marxista, porque ela é falsa, mas conheci muitas pessoas boas que professavam o marxismo”, afirmou.
O Santo Padre explica logo por que lhe importa tanto chegar aos pobres e precisa que “o Evangelho condena o culto à riqueza. O pauperismo é uma das interpretações críticas. Na Idade Média, havia muitas correntes pauperistas. São Francisco teve a genialidade de colocar o tema da pobreza no caminho evangélico. Jesus diz que não se pode servir a dois amos, Deus e o dinheiro”.
“E quando formos julgados ao final dos tempos (Mateus, 25), nos perguntarão sobre nossa proximidade com a pobreza. A pobreza nos afasta da idolatria e abre as portas à Providência. Zaqueu entrega a metade de suas riquezas aos pobres. E a quem tem seus celeiros cheios de seu próprio egoísmo o Senhor, ao final, pedir-lhes-á contas. Acredito ter expressado bem meu pensamento sobre a pobreza no Evangelii Gaudium’”.
Sobre a globalização, o Santo Padre diz que é certo que “salvou da miséria muitas pessoas, mas condenou a muitas outras a morrer de fome, porque com este sistema econômico se torna seletivo”.
“A globalização sobre a qual a Igreja pensa não se parece com uma esfera em que cada ponto é equidistante do centro e na qual, portanto, perde-se a particularidade dos povos, e sim um poliedro, com suas diversas facetas, no que cada povo conserva sua própria cultura, língua, religião, identidade”.
 
O Papa disse ainda que “a atual globalização ‘esférica’ econômica, e sobre tudo financeira, produz um pensamento único, um pensamento débil. E em seu centro já não está a pessoa humana, só o dinheiro”.
Fonte: http://www.acidigital.com/noticias/nunca-compartilhei-a-ideologia-marxista-porque-ela-e-falsa-diz-o-papa-francisco-82158/

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Matéria do Fantástico nega ressurreição de Jesus Cristo

Matéria do Fantástico sobre o Santo Sepulcro afirmou que o corpo de Jesus "desapareceu". (Imagem: Rede Globo / Reprodução)
A reforma da Igreja do Santo Sepulcro foi tema de uma matéria no 'Fantástico' (Rede Globo) do último domingo (6), mas uma das informações apresentadas pelo equipe do programa junto às imagens do local acabou gerando polêmica e revolta entre os cristãos.
Em dado momento da matéria, o apresentador Tadeu Schmidt conta que a câmara localizada dentro da igreja do Santo Sepulcro é o local onde acredita-se que Jesus foi sepultado. De fato, ainda há muitos debates sobre a veracidade de tal informação, mas não foi exatamente isso que causou a reação dos cristãos, mas sim a parte sobre o "desaparecimento do corpo de Jesus".
"A tumba não guarda mais o corpo de Jesus, que desapareceu dias depois do sepultamento", diz o apresentador, durante apresentação da matéria com imagens do canal 'National Geographic'.
Mesmo citando o Cristianismo como fonte para contar a história da Igreja do Santo Sepulcro, a matéria não citando um fator essencial para a existência da mensagem do evangelho: a ressurreição de Jesus.
Apesar de parecer um detalhe, a diferença entre "desaparecimento" e "ressurreição" acaba surgindo como uma contestação da veracidade bíblica.
Em outro momento da matéria, o apresentador também afirmou que a pedra do túmulo foi colocada por José, pai de Jesus. A informação - também equivocada foi corrigida por internautas nos comentários postados na página do programa, no Portal G1.
"Dois erros, José, o marido de Maria já era morto. Quem colocou a pedra no tumulo de Jesus foi José de Arimatéia e o corpo de Jesus não desapareceu", disse uma leitora.
A informação equivocada sobre José colocando a pedra do sepulcro de Jesus foi corrigida ao final do programa pelos apresentadores, porém a questão do "desaparecimento do corpo de Jesus" permaneceu sem uma "errata".
A Igreja do Santo Sepulcro está passando atualmente por um projeto de restauração maciça, que uniu líderes das três denominações religiosas que têm controle sobre o local: a Igreja Ortodoxa Grega, a Igreja Católica Romana e a Igreja Ortodoxa Armênia.
O projeto deve custar 3,4 milhões milhões de dólares e irá primeiramente remover as camadas de fora do túmulo, limpá-lo e repará-lo, segundo os relatórios publicados pelos diretores do projeto início deste ano.
A Rede Globo não voltou atrás em reconhecer que o corpo de Jesus não estava lá porque ressuscitou, porque, ao fazer isso iria afirmar que houve RESSURREIÇÃO e automaticamente iria negar a REENCARNAÇÃO, haja vista que a emissora é abertamente espírita.
Fonte: http://guiame.com.br/gospel/videos/materia-do-fantastico-nega-ressurreicao-de-jesus-cristo-o-corpo-desapareceu.html